Replan e outras refinarias superam marca de 100 mil mudas em ações de reflorestamento

Entre 2011 e 2016, a Replan plantou mais de 22 mil mudas de espécies nativas em áreas localizadas dentro da unidade


No mês do meio ambiente, celebrado em junho, a Petrobras reforça o seu compromisso de investir em projetos e ações para ampliar o conhecimento, a conservação e a recuperação da biodiversidade. As unidades da Petrobras no estado de São Paulo - as refinarias Presidente Bernardes (RPBC), de Capuava (Recap), de Paulínia (Replan), Henrique Lage (Revap) e a Unidade de Tratamento de Gás de Caraguatatuba (UTGCA), já plantaram juntas mais de 100mil mudas de espécies nativas e exóticas. As iniciativas colaboram para a recomposição da vegetação, prevenindo assoreamento de rios, contribuindo para a melhoria da qualidade do ar e criando ambientes para desenvolvimento da fauna.

Ao longo dos anos, a RPBC vem trabalhando para restauração de ecossistema e recuperou mais de 20 mil m² de áreas degradadas com o plantio de 30 mil mudas de árvores nativas. O Morro do Cruzeiro, às margens do córrego das Pedras e do rio Cubatão, são exemplos de áreas localizadas no interior da própria refinaria que foram reflorestadas.

Entre 2011 e 2016, a Replan plantou mais de 22 mil mudas de espécies nativas em áreas localizadas dentro da unidade, próximas aos córregos Ponte Funda e Lajeado, lagoa Pedro Guerra, sítio Tambaú e também nas margens dos rios Jaguari e Atibaia. A mata ciliar é a vegetação localizada nas proximidades de cursos d'água que tem como função conservar o ambiente ao redor de rios e redes de drenagem. Entre os seus papéis ecológicos estão a contenção de enxurradas, retenção de sedimentos e poluentes e colaboração na proteção da rede de drenagem.

A Revap também fez o plantio compensatório e enriquecimento vegetal de cerca de 13.000 mudas de árvores nativas próximo à margem do Rio Alambari, entre 2008 e 2018. A refinaria elaborou o Plano de Manejo do Parque Estadual de Campos do Jordão e do Parque dos Mananciais de Campos do Jordão, além de destinar recursos para a prefeitura de São José dos Campos elaborar o Plano de Manejo do Parque Natural do Banhado e adquirir terras para regularização fundiária, bem como tem recurso reservado para a elaboração do Plano de Manejo de outra Unidade de Conservação de Proteção Integral da cidade, o Parque Natural Municipal Augusto Ruschi, como medidas compensatórias da Modernização da Revap.

Progressos importantes na recuperação de ecossistemas também foram realizados na Recap nas últimas duas décadas. Desde 2008, a refinaria já promoveu o plantio de mais de 45 mil mudas e até 2025 pretende plantar mais 5.500. Em termos de fauna, a recuperação desse ecossistema auxiliará o fluxo migratório das aves, reafirmando a Recap como mais um ponto de descanso e alimentação, além de promover a manutenção das espécies que lá habitam.

Já a Unidade de Tratamento de Gás Monteiro Lobato (UTGCA), em parceria com o Centro de Pesquisa da Petrobras e a Universidade de São Paulo (USP), reflorestou uma área de 78 mil m² em Caraguatatuba durante quase uma década. O projeto foi considerado reflorestamento modelo e laboratório natural, com a aplicação de várias metodologias ecológicas e plantio de mais de 20 mil mudas de diferentes espécies nativas. O projeto tem sido objeto de estudo para algumas teses de mestrado, doutorado e trabalhos de iniciação científica, além de publicações em revistas nacionais e internacionais.