Projeto “Amigos no trecho” acolhe andarilhos em rodovias de Campinas

Quando identificado um andarilho na rodovia, ele é abordado pelo serviço SOS da rodovia, que avalia as condições físicas

O projeto “Amigos no trecho”, uma parceria da Secretaria Municipal de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos de Campinas, da CCR Autoban e da Polícia Militar Rodoviária, teve início no dia 1º de julho. O projeto visa acolher pessoas em situação de rua que caminham nas rodovias Anhanguera e Bandeirantes. Trata-se de um serviço 24 horas. A iniciativa é inédita na região.

“Pessoas em situação de rua, ao transitar em estradas, colocam em risco a própria vida e a de outras pessoas. Ao realizarmos um trabalho conjunto, conseguiremos garantir mais segurança nas rodovias que cortam nossa cidade”, afirmou Vandecleya Moro, secretária municipal de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos de Campinas.

Segundo dados da CCR Autoban, há de 10 a 15 andarilhos que transitam a pé mensalmente no sistema Anhanguera Bandeirantes. A maioria é homem com idade média de 42 anos. Mais da metade deles não tem profissão. A ideia é não só oferecer apoio como ter o registro de informações sobre o perfil dessas pessoas. Entre 30% e 35% desses andarilhos caminham à noite, o que aumenta ainda mais o risco de acidentes.

Quando identificado um andarilho na rodovia, ele é abordado pelo serviço SOS da rodovia, que avalia as condições físicas. A pessoa então é identificada e são analisados eventuais antecedentes criminais. Em seguida, a pessoa é convidada a usar as instalações do albergue municipal de Campinas. Desde o início da operação, uma pessoa foi encaminhada ao albergue municipal.