Personalidades paulinenses receberão títulos de honra em sessão solene

Câmara irá entregar títulos de Cidadão a três personalidades de Paulínia nesta sexta-feira (18)

A Câmara de Paulínia promove sessão solene nesta sexta-feira (18), às 19h, para homenagear três nomes que contribuem com a história da cidade: o ex-vereador Carlinhos Ferrari, o comerciante João do Açougue e José Luiz da Costa, motorista, árbitro, percussionista e ex-guarda municipal. Os títulos serão entregues com base em proposta do vereador Xandynho Ferrari (Podemos). A sessão será restrita com 40% da capacidade do Plenário, para evitar a propagação da Covid-19. Carlos Aparecido Ferrari, natural de Santo Antonio de Posse, em 1955, será reconhecido como Cidadão Paulinense.

“Empresário individual no ramo de transporte rodoviário de cargas, Carlinhos Ferrari nunca soube o que é temer pegar no batente ou, como se diz no interior do Brasil, acordar com as galinhas, para poder proporcionar uma vida digna à sua família”, diz a proposta. Mesmo com ensino fundamental incompleto, seu carisma o ajudou a conquistar cadeira na Câmara nas eleições em 1988. Voltou ao Legislativo paulinense em 2001 e, em 2004 e 2008, foi suplente de vereador. Filho de Antonio Ferrari e Antonia Joana, é casado com Leonice Ferreira Ferrari, teve três filhos e tem cinco netos. Um câncer na garganta tirou sua voz, mas não o sorriso de seu rosto, narra o filho Xandynho. O segundo homenageado, João Sanches Sábio, nasceu em Junqueirópolis (SP) em 1955 e, adotou Paulínia como sua cidade de coração no ano de 1981, onde constituiu família: ele e a esposa, Francisca Magalhães Sábio, têm dois filhos. Filho de Nicolau e Dolores, trabalhou como domador de animais, motorista, administrador de fazenda, churrasqueiro e açougueiro, quando ganhou o apelido e ficou famoso por produzir uma das melhores linguiças do município. CIDADÃO EMÉRITO José Luiz da Costa é paulinense e será reconhecido como Cidadão Emérito. O filho de Martin Gregório e Lazara nasceu em 1961 na Fazenda Maluf, estudou na Escola da Rhodia e, dentre várias profissões, foi motorista no antigo Caco (Centro Comunitário de Paulínia) e atuou como guarda municipal por seis anos. Depois de fazer curso de árbitro profissional, deu aulas gratuitamente aos jovens interessados em futebol e também ensinou percussão. Criou em 2006 a primeira Escola de Samba em homenagem ao bairro João Aranha e, com o abandono da cultura carnavalesca, insistiu em manter o bloco “Aranha”. Hoje motorista escolar, é casado com Carmem Rute e tem quatro filhos biológicos, além de uma adotiva e sete netos.

© 2020 Jornal de Paulínia