ONU certifica Paulínia após adesão ao programa “Cidades Resilientes”

“Cidades Resilientes” tem objetivo de fomentar as condições de enfrentamento às situações extremas causadas por desastres naturais


Após Paulínia aderir ao programa “Cidades Resilientes”, cujo objetivo é fomentar as condições de enfrentamento às situações extremas causadas por desastres naturais, o primeiro certificado de participação já foi entregue pela ONU (Organizações das Nações Unidas).

Para ser uma cidade resiliente, o município deve buscar cumprir com 10 metas. Entre os objetivos estão: se organizar para a resiliência frente aos desastres, garantir a eficácia da preparação e resposta eficaz as catástrofes e fortalecer a capacidade institucional para a resiliência.

“Esse é o primeiro passo que estamos dando para otimizar as condições de enfrentamento às situações extremas causadas por desastres naturais, trazendo mais proteção a nossa população. Tenho certeza de que com o empenho e dedicação de todos os envolvidos, em breve estaremos no rol das cidades resilientes”, comemorou o prefeito Du Cazellato por meio de suas redes sociais.

Na Administração Municipal foi criado o Comitê da Cidade Resiliente, composto por servidores de sete secretarias.

Com o programa, Paulínia se esforça para se tornar inclusiva, segura, resiliente e sustentável até 2030 e se compromete a reduzir desastres e riscos climáticos e continua a melhorar a sustentabilidade através de ações para aumentar a resiliência.

“Trabalhamos para estarmos aptos a qualquer evento que venha a acontecer. Agradeço ao prefeito, Du Cazellato, pelo respaldo dado à Defesa Civil, que está pronta para proteger Paulínia e buscando ser cada vez mais resiliente”, comentou Guimarães.