Combate à Covid-19 é tema de capacitação para funcionários da Câmara

Vereadores, servidores efetivos, assessores de gabinetes e terceirizados participaram de palestra com Joana Freitas

A Câmara de Paulínia deu início a um novo planejamento para evitar a propagação da Covid-19. O primeiro passo foi capacitar todos os funcionários da Casa, com informações sobre cuidados pessoais e formas adequadas para atender ao público.

Vereadores, servidores efetivos, assessores de gabinetes e terceirizados participaram de palestra com Joana Freitas, coordenadora da UBS do bairro João Aranha, na segunda (18) e terça-feira (19). Ela apresentou protocolos básicos, como lavagem correta das mãos e forma de utilizar máscaras faciais; reforçou a necessidade de evitar aglomerações e esclareceu dúvidas.

Joana destacou, por exemplo, que as máscaras devem ser trocadas a cada 2 horas (ou antes, se estiverem úmidas). Quando forem retiradas no momento das refeições, devem ser colocadas em envelopes de papel ou guardanapos, e nunca em cima da mesa nem guardadas em sacos plásticos, porque isso aumenta o risco de contágio.

“As máscaras nem sempre são confortáveis, mas precisam ser usadas o tempo todo, para seguir o decreto estadual em vigor e proteger a saúde coletiva”, disse Joana. Outra orientação é que as pessoas sempre procurem unidades de saúde quando sentirem sintomas. Assim, é possível monitorar desde cedo possíveis casos.

Os funcionários foram divididos em três turmas, para evitar aglomeração de pessoas no Plenário da Casa.

ATENDIMENTO

O presidente do Legislativo, vereador Fábio Valadão (PL), declarou que já tiveram início mudanças na rotina administrativa com o objetivo de proteger a saúde dos funcionários e de toda a população que entra no prédio.

Entre as medidas estão medir temperatura nas entradas, ampliar pontos de álcool em gel e adotar rodízio de funcionários em gabinetes de vereadores e setores internos.

A entrada na Câmara está aberta, com restrições. É preciso ter hora marcada com vereador e, nas sessões, o público fica limitado a 40% da capacidade (90 cadeiras no auditório do Plenário).