Apenas cinco das 20 cidades da RMC apresentaram índices negativos de empregos em 2020

Apesar do saldo positivo de 15 cidades, a região perdeu 4.164 postos de trabalho no acumulado de janeiro a dezembro

A Região Metropolitana de Campinas (RMC) registrou retração do mercado de trabalho em 2020. O índice de queda foi de 252,19%, considerando o saldo negativo de 4.164 postos de trabalho entre janeiro e dezembro no ano passado, contra 2.736 novas vagas no acumulado de 2019. Apenas em dezembro de 2020, na região, foram eliminados 3.100 postos de trabalho, considerando 28.908 admissões e 32.008 demissões. Os dados de dezembro passado comparados com as vagas eliminadas em 2019 (8.487) representam uma variação de 136,89%. As informações, avaliadas pelo Departamento de Economia da Associação Comercial e Industrial de Campinas (ACIC) são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED). Das 20 cidades que formam a RMC, 15 apresentaram variações positivas no resultado de contratações X demissões. O melhor índice, de 6,09% foi apresentado por Monte Mor, onde foram registradas as contratações de 4.664 pessoas e a demissão de 4.027 trabalhadores em todo o ano de 2020. O segundo melhor índice foi o de Nova Odessa (4,21%), com 9.288 admissões contra 8.440 demissões. As cinco cidades que terminaram 2020 com índices negativos foram Americana (27.808 contratações e 28.294 demissões, com variação de -0,68%), Campinas (143.622 admissões contra 149.328 demissões – variação de -1,50%), Holambra (3.870 contratações contra 4.056 demissões e variação de 2,87%), Sumaré, com 19.598 novas vagas e 18.831 dispensas, o que representa um índice de -0,35% e Valinhos, que apresentou o pior resultados com 15.975 admissões contra 19.009 demissões e variação negativa de 6,80%.

© 2020 Jornal de Paulínia