Pelo quarto mês consecutivo, Paulínia registra saldo positivo na criação de empregos

No município foram gerados 206 postos de trabalho de janeiro a setembro de 2020, com a admissão de 12.791 trabalhadores


Segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), pelo quarto mês consecutivo, desde o início da pandemia da covid-19, Paulínia registrou um saldo positivo na criação de empregos formais. De acordo com dados do Caged, divulgados pela Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, em setembro o saldo foi de 83 vagas formais ocupadas na cidade.

No município foram gerados 206 postos de trabalho de janeiro a setembro de 2020, com a admissão de 12.791 e a demissão e 12.585 trabalhadores. Neste cenário, especialistas consideram que o mercado de trabalho do município começa a reagir, mas que ainda é necessário ter atenção aos índices de desemprego da região.

Após o início da crise sanitária, este saldo ficou negativo por quatro meses, atingindo, em maio, uma queda de 1.995 mil na criação de empregos formais. No entanto, em junho, o número voltou a ser positivo e, até setembro, resultou em um acumulado de 2.201 novas vagas.

Na opinião do economista Laerte Martins, diretor da Associação Comercial e Industrial de Campinas (ACIC), os dados de setembro de 2020 mostram, mais uma vez, a boa recuperação dos empregos regionais.

“Acreditamos que os números de setembro, tenham um efeito positivo sobre a taxa de desemprego no mercado formal que deverá se reduzir em até 1%, chegando próximo aos 12% em Campinas e Região, destaca Martins.

Em nível nacional tivemos também uma elevação na criação de postos de trabalho, que deve reduzir a taxa de desemprego daqui para frente, combatendo o nefasto efeito da pandemia da Covid-19 na economia nacional.


Empregos formais

*Saldo de vagas (admissões menos demissões)

- Janeiro -62 - Fevereiro 803 - Março -577 - Abril -1.115 - Maio -241 - Junho 85 - Julho 452 - Agosto 778 - Setembro 83

Fonte: Caged, Secretaria Especial de Previdência e Trabalho, Ministério da Economia, Notícias de Paulínia