HC da Unicamp irá acompanhar 500 profissionais voluntários nos testes da vacina contra o Covid-19

Ao longo dos 12 meses, os 500 voluntários passarão por oito visitas presenciais para que seja feita a coleta de exames



O Hospital de Clínicas (HC) da Unicamp irá acompanhar 500 profissionais de saúde voluntários nos testes da vacina chinesa contra o novo coronavírus. A universidade é um dos 12 centros de testagens selecionados pelo Instituto Butantan, que conduz a pesquisa em parceria com uma farmacêutica chinesa.

O infectologista responsável pela condução dos testes na Unicamp, Francisco Aoki explicou Ao portal G1 que não há previsão para o início do trabalho em Campinas. O termo de cooperação técnica com o Butantan ainda será assinado e a universidade aguarda a chegada de uma nova geladeira para armazenamento de insumos.

"O indivíduo terá oito visitas durante esse desenrolar de 12 meses. Os últimos dois meses, 13º e 14º, serão dedicados a colocações finais de todos os dados coletados da pesquisa, dados de ordem laboratorial, resultados de exames, dados clínicos e que, para finalidade lá na frente, já produzir uma publicação que dê respaldo a esse tipo de estudo", disse.

Disponibilização para população

Se os testes derem resultados positivos em seis meses, esses voluntários receberão novamente a vacina para imunização e continuação da pesquisa.

Questionado sobre a previsão para que seja disponibilizada à população, ele afirmou que essa resposta cabe ao Instituto Butantan.

"Essa é uma pergunta que não quer calar, mas infelizmente eu não posso te dizer e a responsabilidade sobre esse assunto é do doutor Ricardo Palacios, que é o chefe, o diretor da área de Clinical Trials [Ensaios Clínicos] do Instituto Butantan", disse o infectologista da Unicamp.

Em entrevista ao Jornal das Dez, da GloboNews, o diretor do Butantan, Dimas Covas, afirmou na noite de quarta-feira (15) que o instituto não precisa aguardar o final da pesquisa para pedir registro na Anvisa. Segundo ele, isso será feito quando houver a "primeira demonstração de eficácia".


Os testes

Serão 8.870 voluntários selecionados em todos os centros de testagem dessa vacina no país. Os testes devem começar em dias diferentes para cada voluntário.

Metade dos voluntários receberá duas doses da vacina, enquanto o restante será a cota de placebo. Os voluntários não saberão quem recebeu a vacina e quem entrou como placebo. As aplicações ocorrerão em intervalo de duas semanas.

O Instituto Butantan repassará, além dos insumos, uma geladeira para armazenamento dos testes.

Ao longo dos 12 meses, os 500 voluntários passarão por oito visitas presenciais para que seja feita a coleta de exames, análise de possíveis efeitos colaterais e para verificar se há resposta imune.

© 2020 Jornal de Paulínia