Preconceito e discriminação, por Dr. Roberto Daher

17.07.2020

 

A lei 7.716, de 5 de janeiro de 2019, trata do preconceito e discriminação de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional.

Em minhas aulas eu ouso em afirmar que, ao contrário do que se tem na lei em comento, a bem da verdade, o preconceito, em si, não é crime. E justifico: a palavra preconceito une o prefixo “pré”, que significa anterior, ao sufixo “conceito”, que remete a significado ou juízo. Preconceito é, pois, o ato de julgar algo ou alguém antes de conhecer o objeto de juízo.

Eu não gosto de arroz doce por conta de seu aspecto: isso é preconceito. Se eu não gostasse de um argentino, simplesmente pelo fato dele ser um argentino, igualmente seria um preconceito.

Pois bem, existe um princípio básico do Direito Penal, que tem o nome de princípio da transcendência ou da alteridade, desenvolvido por um importante jurista alemão chamado Claus Roxin, segundo o qual “só pode ser punido aquele comportamento que lesione direitos de outras pessoas e não seja simplesmente pecaminoso e imoral”.

Em outras palavras, um fato só pode ser considerado crime se ele afetar uma outra pessoa que não o autor. Por isso, a título de exemplo, a auto lesão e a tentativa de suicídio, a princípio, não são considerados crimes. Só o serão se forem um meio para a prática de um crime, como se teria em uma eventual solicitação de seguro fraudulento - quando o prejudicado seria outra pessoa, transcendendo da figura do autor.

Pois bem, ao se ter preconceito, que como visto, está no âmbito do pensamento, não estaremos prejudicando qualquer pessoa. O fato de, exemplo anteriormente utilizado, eu não gostar de argentino, não constitui crime. É, sim, um fato imoral, certamente pecaminoso, ouso dizer até de imbecilidade, mas não crime.

O crime passaria a existir no exato momento em que exteriorizasse, através de atos e palavras, este preconceito. A isso se chama de discriminação, ou intolerância, e, aí sim, discriminação e intolerância são crimes previstos em lei.

Outro ponto: algumas pessoas fazem alusão à expressão “racismo” para tratar da prática delituosa que ora discutimos. Entendo que essa expressão é totalmente descabida. E por uma séria de razões: inicialmente, todos nós somos pertencentes a uma só raça - a raça humana. Ou seja, não podemos ter preconceito de nós mesmos e de todos que nos cercam, sem qualquer exceção.

O que temos, e a lei trata disso, é uma discriminação quanto à cor (negra, vermelha, amarela, branca - esta última sofrendo bem menos discriminação que as demais, frise-se) e etnia, está representando uma coletividade de indivíduos que se diferencia por sua especificidade sociocultural, refletida principalmente na língua, religião e maneiras de agir.

Mas a lei vai além disso: coíbe, também, a discriminação quanto à religião e à procedência nacional. Vale uma explicação: por procedência nacional, os autores entendem pessoas vindas de outras regiões do país (nordestinos, sulistas, nortistas etc.) ou vindas de outros Países (argentinos, bolivianos, haitianos, estado-unidenses etc).

Recentemente, o Supremo Tribunal Federal decidiu que a discriminação pelo fator da sexualidade também deve ser abrangida pela Lei.

Como professor de Direito Penal vejo-me obrigado a dizer que esta decisão é totalmente esdrúxula. E antes que me designem homofóbico, o que decididamente não sou, explico: a Constituição Federal e o Código Penal são claros em afirmar que não há crime sem lei anterior que o defina, ou seja, um fato só pode ser crime se houver uma lei que diga que ele é – a isso se chama princípio da legalidade. Não é o caso.

A lei omite esta possibilidade – evidentemente em uma negligência do Poder Legislativo quanto a isso, posto que qualquer forma de discriminação deveria ser criminosa. E não cabe ao Poder Judiciário legislar. Para que todos entendam bem: se eu pratico um ato que, embora seja danoso, vil, imoral, pecaminoso, mas ainda assim não seja previsto como crime, não é crime!

Se alguém vem e diz que é crime, cria uma insegurança jurídica prejudicial à sociedade. Hoje posso estar fazendo uma coisa que, amanhã, alguém ache que é crime e, pronto, temos um criminoso!

Reitero que entendo plenamente que a homofobia é um ato repugnante e imoral e, assim como toda forma de discriminação (idosos, deficiente físicos, pessoas especiais, sexo, dentre outros) deveria ser considerado crime. Mas pelos meios previstos na Constituição Federal e Código Penal, ou seja, através de uma lei e não por decisão judicial, ainda que do órgão máximo do Poder Judiciário.

Por fim, até por conta do quanto acima disse, ou seja, de que um crime só é crime se estiver previsto em lei como tal, os atos discriminatórios são aqueles previstos na Lei 7716/1989.

Existe uma confusão grande quando se fala que ofender uma pessoa por conta de sua cor ou etnia é “crime de racismo”. Não é. É, de fato, uma manifestação de intolerância e discriminação, mas trata-se de um crime previsto no Código Penal, qual seja de injúria (da qual falei em artigo anterior) qualificada pelo componente discriminatório.

Finalizando, é muito triste termos a necessidade de uma legislação para servir de método de coação para que as pessoas tratem seus semelhantes de forma igual. Independentemente de cor, etnia, religião, procedência nacional, preferência sexual, sexo, idade, classe social etc., deveríamos ser tolerantes um para com os outros, viver em harmonia, buscando um mundo melhor.

Compartilhar no Facebook
Gostei
Please reload

7 Aug 2020

O espaço de compras terá três andares e uma área total de 48 mil m², de acordo com a administração

Na manhã de quinta-feira (6), a Câmara de Vereadores de Campinas aprovou, em 1ª e 2ª discussão, um projeto de lei, de autoria do Executivo, que permite a concessão de uma área do Complexo Ferroviário do município com o objetivo de construir um shopping popular para acolher 1,2 mil camelôs que atuam no Centro. O espaço de compras terá três andares e uma área total de 48 mil m², de acordo com a admini...

7 Aug 2020

Servidores que estão na linha de frente contra a Covid-19 receberão extra de R$ 431,35 mensais

Os vereadores de Paulínia aprovaram na terça-feira (4), em primeira discussão, a proposta com o objetivo de criar adicional de pandemia a todos os servidores da Secretaria Municipal da Saúde. Os profissionais receberão R$ 431,35 mensais enquanto continuar o trabalho de combate ao coronavírus na cidade. O objetivo é o reconhecimento do trabalho e o risco desses trabalhadores durante este momento.

Na...

7 Aug 2020

Artistas e grupos culturais devem fazer o cadastro para ser amparados financeiramente pela Lei Federal Aldir Blanc


O cadastro realizado pela Secretaria de Cultura de artistas, grupos, coletivos e espaços culturais da cidade irá acontecer até o dia 8 de setembro.

O objetivo do cadastro é mapear os munícipes que produzem cultura em Paulínia e também atender uma das exigências da Lei Federal Aldir Blanc, criada para socorrer financeiramente espaços e agentes culturais.

Formulário para cadastros agent...

Em um artigo anterior fiz menção à ciência da Criminologia, aquela que estuda não o crime em si, mas sim, em síntese, as causas e as consequências do crime.

Aqui vou falar um pouco de outra ciência, denominada Vitimologia, que tem estreita relação com aquela, e que se preocupa com o sujeito passivo da infração penal – leia-se vítima, bem como sua participação no evento.

Falando das consequências de um crime, o sujeito passivo passa por três graus de “vitimização”: a primeira delas, por isso denomi...

7 Aug 2020

Enzo tomou a iniciativa de vender suco para ajudar na compra de equipamentos para auxiliar o tratamento de pacientes do novo coronavírus

Neste cenário de pandemia, sentimentos de solidariedade e compaixão têm feito a diferença na vida de muitas pessoas. Na cidade de Artur Nogueira, o pequeno Enzo Tapetti, de apenas 6 anos, mostrou que bondade não tem idade. 

O menino tomou a iniciativa de vender suco na frente de casa para ajudar na compra de equipamentos para auxiliar o tratamento de pacientes do...

7 Aug 2020

Os pets são fofos, carinhosos e fiéis companheiros, mas não costumam combinar com casa limpa o tempo todo


Algumas pessoas querem adotar um bichinho de estimação, mas acabam adiando a chegada do novo membro da família por conta da sujeira. Os pets são fofos, carinhosos e fiéis companheiros, mas não costumam combinar com casa limpa o tempo todo. Quem tem animal de estimação sempre reclama de pelos, sujeira e brinquedos espalhados pela casa. Sim, é realmente bem difícil manter a casa limpa e organi...

7 Aug 2020

Todo processo será online e até 1.000 estudantes poderão ser contratados

As inscrições para o Programa Municipal de Estágio, que será realizado pela Prefeitura de Paulínia, terão início no dia 14 de agosto pelo site do Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE), entidade que está à frente do processo seletivo.

Todo processo será online e até 1.000 estudantes poderão ser contratados, sendo que 500 serão remunerados (cursos com estágios não obrigatórios) e 500 não serão remunerados (cursos com estág...

7 Aug 2020

Henrique Bordinhon fala um pouco sobre o significado da data

O Dia dos Pais está chegando e é impossível não falar um pouquinho sobre o significado dessa data, pois a figura paterna contribui para nossa formação na sociedade. Pai não é apenas aquele que de forma popular dizemos: “colocou no mundo”. Pai é aquele que cuida, apoia, torce pelo melhor e está presente para o que der e vier. É desse conceito que pegamos por analogia da figura de herói, pois ele está ali para brigar por você se necessári...

7 Aug 2020

O público-alvo serão pessoas com idade entre 6 meses e 49 anos


A Prefeitura de Paulínia, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) realiza a partir deste sábado (8), uma ação de intensificação da vacina contra o sarampo. O público-alvo serão pessoas com idade entre 6 meses e 49 anos.
Até o último sábado de agosto, haverá vacinação nos Supermercados Pague Menos José Paulino e João Aranha e também nas Unidades Básicas de Saúde Centro 2, São José, Monte Alegre e Jardim Planalto, estarão abert...

31 Jul 2020

No último boletim divulgado pela Prefeitura, o município chegou a 1984 casos confirmados

Na tarde de quinta-feira (30), a Prefeitura de Paulínia confirmou a morte do segundo idoso do Centro de Geriatria provocada pelo novo coronavírus. A vítima é um senhor de 84 anos, com histórico de pneumopatia, que estava internado no Hospital Municipal (HMP) e morreu na quarta (29). A primeira morte de um residente do local aconteceu no dia 18, a vítima tinha 91 anos estava em tratamento na própria unidade, o...

Please reload

© 2018 Jornal de Paulínia