Hermes Kiehl, empreendedorismo e preocupação a frente do seu tempo

No último dia 1º de julho, Hermes Kiehl, ex-vereador, ex-vice prefeito da cidade de Cosmópolis, pai e avô, fez a sua passagem, vitimado por uma SEPSE (infecção generalizada).

Vinha lutando a uma década com as implicações de um Carcinoma Urotelial, câncer de bexiga, que acabou sendo curado, porém após 10 anos de enfermidades decorrentes do câncer, infecções e tratamentos, hospitalizações e hemodiálises, sua saúde acabou debilitada e culminou com sua morte. Muitas homenagens, mensagens e carinho, recebemos de amigos próximos e distantes.

Na cidade de Cosmópolis, sua terra natal e pela qual nutria grande apreço e saudades, foi decretado Luto Oficial de três dias, homenagem póstuma muito digna e que nos encheu de orgulho. Obrigado Sr. prefeito! Muito Obrigado.

Porém, gostaria de escrever sobre meu pai, não envolvendo nenhum aspecto político, até porque isso implica em ideologias, prefiro a oportunidade, diante deste momento triste, de falar do lado empreendedor e do trabalho como urbanista e visionário que permearam toda a sua vida.


Meu pai sempre trabalhou no comércio, quando solteiro teve um bar e uma quitanda, casou-se relativamente cedo, estudou na Escola Municipal do Comércio em Cosmópolis (hoje Moacir do Amaral) técnicas em contabilidade, trabalhou na Prefeitura Municipal, no Hospital Beneficente Santa Gertrudes. Estimulado pelo amigo Aldhoir Joaquim Miguéis, iniciou serviços noturnos para complementação de renda como contador, especializando-se em declarações de imposto de Renda, e posteriormente abriu seu próprio escritório de contabilidade. Primeiro localizado nos "fundos" do escritório despachante TININHO, e posteriormente construindo sua própria sede, ambos na Rua Campinas. Trabalhou no ramo contábil até 1978, quando em sociedade com José Roberto Bortoletto, e com Benedicto Guerreiro (Zito) fundou a Imobiliária UIRAPURU, também na rua Campinas em frente à loja Utilar do amigo Milvio di Saco.

Nessa época, meu pai cursou direito em São Carlos, junto com Antonio Andrade e Getulio Melo, e apesar de nunca exercer a função de advogado, aprendeu sobre a legislação de uso e parcelamento do solo, e empreendeu inúmeros loteamentos na cidade de Cosmópolis, quase todos com nome de pássaros, como Colibris, Andorinhas e Uirapuru. Ainda na época, cedeu um pequeno espaço nos fundos do imóvel que abrigava a imobiliária ao saudoso Jose Roberto Spana (Beto), arquiteto e amigo, que trabalhou elaborando projetos, onde sempre havia a preocupação com meio ambiente e condições que privilegiariam a qualidade vida, quando ainda não se falava muito nisso. Também implantou o loteamento Rosamélia e após fundar a Imobiliária HERMES (hoje ABC) em sociedade com o sobrinho e grande amigo Angelo Antonio Bragagnoli (Toninho) lançaram os condomínios Mont Blanc e o primeiro prédio vertical da cidade de Cosmópolis, o Residencial Casa Blanca (na Rua Sete de Setembro)

Em 1988, após separação consensual e posterior divórcio, foi morar em Campinas e posteriormente em Paulínia, onde continuou trabalhando no seguimento imobiliário inaugurando a HERMES Paulínia. Com espirito empreendedor, lançou inúmeros loteamentos como residencial Dona Dora, Residencial Ipê 1 e 2 , Cabreúva, Olinda, Marieta Dian 1 e 2 e o condomínio Alemac.

Teve participação em inúmeros projetos de desmembramento de áreas e comercializou outros empreendimentos que não foram incorporados pela sua imobiliária, mas sempre se destacou pela agilidade e pelo grande sucesso comercial em todas as participações. Mais que um corretor de imóveis, administrador, empreendedor, meu pai foi um URBANISTA, ciente de todas as implicações que se referem ao parcelamento do solo, e condições de habitabilidade. Meu pai sempre se preocupou com a qualidade de vida das pessoas que futuramente residiriam em locais que antes eram grandes glebas de terra com pouca ou nenhuma benfeitoria.


Sua capacidade de enxergar bairros, onde antes existiam pastos e plantações, surpreendem e encantam, a grande oportunidade de fazerem pessoas realizarem sonhos e desenvolverem nestes espaços suas casas, escritórios e empresas, sempre o motivaram e sempre o incentivaram a aprender e inovar. Tenho muito orgulho do legado deixado pelo "Seo" Hermes, como era conhecido pelos amigos e clientes.

Sua dedicação ao trabalho e a superação de obstáculos nunca o desmotivou e não comprometeu seu bom humor e positividade, seu sorriso e risada generosamente sonora, já fazem muita falta a mim e a pessoas mais próximas, espero revê-lo um dia, e poder dizer o quanto me orgulho de sua passagem por esta vida.


Até breve Pai.

Homenagem de Hermes Kiehl Junior e toda família Kiehl