Números de infectados e mortos por Covid-19 em Paulínia aumentam junto com as aglomerações

A conscientização de cada cidadão é de extrema importância para a diminuição dos números


Até a quinta-feira (25), Paulínia confirmou 565 casos positivos do novo coronavírus (Covid-19) no município. A taxa de mortalidade está em dez óbitos e a ocupação dos leitos hospitalares estão em 100%. Mesmo com 311 pacientes curados, os números crescentes semana após semana é, no mínimo, preocupante para um município com o tamanho de Paulínia.

Com o isolamento social, os paulinenses tem passado mais tempo nas redes sociais e dividindo opiniões sobre a quarentena. Embora o crescimento dos infectados, as aglomerações na cidade não cessaram.

A pedido do portal de notícias Correio Paulinense, a Secretaria Municipal de Segurança Pública (SSP) de Paulínia informou que, até domingo (21), a Guarda Municipal (GM) atendeu 319 ocorrências por descumprimento da quarentena obrigatória.

Segundo relatório do Setor de Estatísticas da GM, encaminhado pela SSP, somente nos dois primeiros meses de isolamento social (março e abril) foram 248 denúncias comunicando, principalmente, a realização de festas clandestinas com aglomeração de pessoas, em residências e chácaras de aluguel para eventos.

De acordo com o secretário de Segurança, Maick de Souza Lucizano, esse tipo de ocorrência representa 95% do total de atendimentos, até o momento.

“Na maioria das vezes, a pessoa encerra o evento clandestino, porém, registramos um boletim interno. Tendo uma nova reclamação (do mesmo local) o responsável é conduzido até a delegacia, onde o caso é registrado e, aí, ele responder civil e criminalmente pelo descumprimento”, explicou Lucizano ao Correio.

Ainda segundo o secretário, as denúncias chegaram através dos telefones da GM (153 ou 3874-3646), exceto alguns casos em que moradores pararam viaturas e comunicaram. No último dia 18, véspera do feriado do “Sagrado Coração de Jesus”, padroeiro da cidade, a GM fez plantão na Praça do São José para evitar a realização de um “pancadão”, que costuma aglomerar centenas de pessoas no local.

No mês passado, a Guarda Municipal acionada para dispersar uma aglomeração em frente ao Theatro Municipal. No local, acontecia um evento de carros antigos e havia pessoas circulando entre os veículos.

No último domingo (21), conforme noticiou o Paulínia 24 horas notícias, o Parque 500 também teve uma grande aglomeração de pessoas e ajudou a derrubar o índice de isolamento social, já verificado para este dia da semana em Paulínia. Famílias inteiras aproveitaram o sol do primeiro final de semana do inverno para fazer piqueniques, andar de bicicleta, soltar pipas, colocar o papo em dia ao ar livre ou, simplesmente, puxar uma soneca no gramado.

De acordo com o Sistema de Monitoramento Inteligente de São Paulo (SIMI-SP), a taxa de isolamento social deste domingo ficou em 51%, em Paulínia, abaixo, portanto, dos índices considerados pela Secretaria de Estado da Saúde satisfatório (55%) e ideal (70%) para reduzir a velocidade de contaminação da pandemia da Covid-19 e, assim, evitar o colapso no sistema de saúde.

Paulínia verificava anteriormente aos finais de semana índices de isolamento que se aproximavam do ideal, como em 29 de abril (63%) e 26 de abril (62%). De lá para cá as taxas despencaram nos dias úteis, registrando o mais baixo no último dia 18, véspera de feriado: 40%; e pioraram muito aos finais de semana – o mais baixo (50%) ocorreu no domingo anterior, dia 14 de junho.

A Prefeitura de Paulínia informou que a Guarda Municipal esteve domingo à tarde no Parque Brasil 500 orientando a população. A Defesa Civil também teria passado no local com carro de som com mensagem de conscientização.

Festas ou eventos em locais públicos ou privados (casas de shows, residências, espaços de locação de eventos, entre outros) continuam proibidos no município, bem como o funcionamento de bares, lanchonetes, restaurantes e similares. O artigo 268, do Código Penal, prevê pena de detenção, de um mês a um ano, e multa, para quem “infringir determinação do poder público destinada a impedir introdução ou propagação de doença contagiosa”.

É de extrema importância a conscientização de toda a população, respeitar os decretos, não causar aglomerações, ficar em casa e a higienização das mãos. Somente com todos fazendo a sua parte, o cenário da pandemia em Paulínia mudará.

Fontes Correio Paulinense/Paulínia 24 horas notícias






© 2020 Jornal de Paulínia