Pets: Saiba dez dicas para uma adoção responsável


Adotar um cão ou gato é um ato de grande responsabilidade, que implica um compromisso que dura toda a vida do animal


1. Converse com sua família antes de adotar para saber se todos estão de acordo. Levando em conta que tempo médio de vida do animal é de 12 anos, todos da família precisam estar de acordo, precisam entender que aquele animal precisará de recursos para mantê-lo e estabelecer quem cuidará dele nas férias ou em feriados prolongados. 2. Escolha um novo amigo que melhor se adapte ao seu dia-a-dia e a sua realidade. Quanto menor é a casa, menor deve ser o cão. Cachorros grandes, em ambiente pequeno, podem ter problemas de adaptação. 3. Caso já tenha outros animais em casa, apresente o novo morador de forma gradual e fique sempre atento à convivência. Fique atendo ao seu pet, observe seu comportamento, tente identificar se ele convive melhor sozinho ou em grupo antes de trazer um novo companheiro. 4. Leve ao veterinário de confiança, faça consultas de rotina, e pelo menos uma vez ao ano faça um checkup de saúde. Cuide da saúde física do animal. Forneça abrigo, alimento, vacinas e leve-o regularmente ao Médico-Veterinário. Visitas anuais a uma clínica veterinária são uma das consequências para as quais você deve estar preparado quando pensar em adoção de cachorro. 5. Faça as vacinas virais e antirrábica, além de manter os seus reforços anuais. A vacinação é um dos cuidados mais importantes que se deve ter com um cãozinho, garantindo não somente a saúde do animal, como também de toda a família. 6. Mantenha-o sempre livre de endoparasitas (verminoses) e ectoparasitas (pulgas e carrapatos). Nem todas as raças de cães necessitam a tosa com grande frequência, mas todas precisam de banhos regulares, dentes escovados e unhas aparadas, por questões de saúde e segurança para evitar o desconforto ao cão e propiciando o acúmulo de sujeira e bactérias. 7. Faça passeios e brinque bastante com seu pet. Exercite-o, na hora do passeio, leve-o com uma coleira ou guia. Isso garante uma vida feliz, saudável e longa ao bichinho, bem como menos problemas e estresse para os tutores. Com passeios diários ou algumas vezes por semana, a depender da raça e porte do cão, problemas como a mania de cavucar o chão, morder móveis e comer objetos devem ser reduzidos, pois são fruto da ansiedade. 8. Ensine comandos básicos ao seu pet. Todos os cães devem aprender alguns truques básicos, como sentar, esperar e vir. Isso pode ser ensinado com algumas técnicas básicas de adestramento, envolvendo recompensas para ações positivas. A grande maioria dos cachorros são capazes de executar truques elaborados, então explore o potencial do seu novo pet. Isso também ajuda a criar um vínculo mais forte e duradouro entre vocês. 9. Mantenha os bebedouros sempre com água fresca e comedouros limpos. Pesquise sobre quais alimentos deve oferecê-lo ou não. Peça ao veterinário ou outro profissional qualificado na área recomendações de alimentos próprios para cães que sejam realmente saudáveis. 10. Após a adoção, não devolva o bichinho. O período de adaptação pode levar de 3 a 15 dias, tanto para o animal, quanto para o adotante. Depois que passar o período de adaptação, seja feliz com seu novo melhor amigo. Uma de suas funções principais será proporcionar proteção e segurança ao seu novo pet, e em troca receberá todo o amor que só um animalzinho pode oferecer.