top of page

Sete cidades da RMC crescem na taxa de isolamento social e Paulínia fica novamente abaixo

As seguintes cidades ficaram abaixo de 50%: Hortolândia (49%), Paulínia (49%) e Santa Bárbara d'Oeste (47%)


(Correio Paulinense): Cidades que não atingirem a taxa de isolamento social de pelo menos 50% estarão automaticamente excluídas do relaxamento de quarentena.


Sete cidades da Região Metropolitana de Campinas (RMC) fecharam o domingo (17) com mais de 50% na taxa de isolamento social - uma das principais medidas de prevenção ao coronavírus. As informações foram obtidas pelo Simi-SP (Sistema de Monitoramento Inteligente do Governo de São Paulo), que analisa os dados de telefonia móvel para indicar tendências de deslocamento e apontar a eficácia das medidas de isolamento social.

Na dez da RMC monitoradas pelo Simi-SP sete tiveram uma melhora: Americana (50%), Campinas (50%), Indaiatuba (54%), Itatiba (51%), Sumaré (50%), Valinhos (54%) e Vinhedo (54%). O domingo costuma ser o dia com taxas mais altas, mas mesmo assim as seguintes cidades ficaram abaixo de 50%: Hortolândia (49%), Paulínia (49%) e Santa Bárbara d'Oeste (47%). RELAXAMENTO O isolamento social é uma das principais medidas para a contenção da pandemia de novo coronavírus, doença que ainda não tem medicamento ou tratamento adequado para o tratamento. De acordo com o Centro de Contingência do coronavírus o índice ideal de isolamento social para conter a propagação do novo coronavírus é de 70%. O governador do estado João Doria (PSDB) já afirmou que as cidades que não atingirem a taxa de isolamento social de pelo menos 50% estarão automaticamente excluídas do futuro relaxamento de quarentena, que permitirá a reabertura demais setores do comércio.

Durante a quarentena e com a taxa de isolamento abaixo dos 50%, apenas os serviços essenciais (como mercados e bancos) podem funcionar.

Fonte ACidadeOn

bottom of page