Pesquisa da Unicamp projeta 1 milhão de casos no Estado até junho e aconselha lockdown se isolamento

Estado alerta que Campinas é 3ª região mais impactada por coronavírus



Uma pesquisa realizada pela Unicamp, em Campinas, prevê uma progressão rápida de casos e mortes por coronavírus em todo o estado, caso o isolamento social não seja ampliado. De acordo com o estudo, os 645 municípios vão atingir 1 milhão de casos da Covid-19 até o final do mês de junho. Na terça-feira (12), São Paulo contabilizou, em todas as cidades, 47.719 registros da doença, segundo o Ministério da Saúde.

O estudo ainda fez a projeção das mortes no Estado de São Paulo. Na capital, o número de óbitos tem dobrado a cada 15 dias. De acordo com o modelo matemático do estudo, o índice na cidade pode chegar a 25 mil no fim de junho, enquanto no estado atingirão 50 mil, com média de 2,5 mil mortes por dia.

Por conta da projeção, o professor do Departamento de Política Científica e Tecnológica da Unicamp Renato Pedrosa, autor da pesquisa, acredita que o estado vai precisar do lockdown - a versão mais rígida do distanciamento social e que foi adotado em pelo menos 18 cidade do Brasil nesta semana -caso a taxa de isolamento social não seja elevada.

"A situação vai exigir isso. E a hora que a cidade de São Paulo e a Região Metropolitana de São Paulo saturar, isso vai impactar nas outras regiões do estado, como a de Campinas. A situação da capital é dramática. Se os números continuarem assim, o bloqueio é aconselhável. A gente espera que não precise chegar nisso, se o isolamento atingir aproximadamente 60%", disse o especialista.


Como foi feita a pesquisa?

De acordo com o pesquisador, o estudo se baseou em analisar como está se comportando a curva de casos e óbitos no estado e fazer a projeção matemática para os próximos dois meses.

"É importante a gente entender que para cada pessoa internada, 10 pessoas são internadas. E dessas, duas precisam de UTI. Esse uso da hospitalização é que é o problema principal. O estado todo tem 5 mil leitos de UTI, e às vezes a pessoa fica três semanas internadas. Se esses números se confirmarem, os hospitais terão problemas", explicou.


Isolamento social

As 12 cidades da região de Campinas, monitoradas pelo governo do Estado durante a quarentena determinada para evitar a disseminação do novo coronavírus, voltaram a registrar diminuição dos índices de isolamento social na segunda-feira (11). Os dados divulgados na tarde de terça (12) mostram que subiu de quatro para sete o total de cidades com indicadores inferiores à média dos municípios paulistas e Sumaré, com 43%, detém o pior resultado.

A média verificada pelo Estado foi de 48%. Entre os municípios que ficaram abaixo deste patamar estão Americana, Campinas, Hortolândia, Mogi Guaçu, Mogi Mirim, Paulínia e Sumaré. A meta do governo é atingir no mínimo 55% de isolamento no Estado, enquanto que o comitê de combate à Covid-19 considera o patamar de 70% como ideal para achatar a curva de contaminação e evitar o colapso do setor de saúde. A quarentena segue até 31 de maio. As informações são do portal de notícias G1.