Com registro de queda no isolamento social, casos positivos de Covid-19 em Paulínia tem aumento de 5

Governo do Estado voltou a registrar a diminuição do isolamento social nesta semana em Paulínia



Com 36 casos positivos do novo coronavírus em Paulínia, em menos de uma semana o número aumentou progressivamente em 50%.

Na última sexta-feira (1º), o número de casos positivos era 24, quatro dias depois, na terça (5) os número disparou para 30 casos.

Com esses números alarmantes, o mais preocupante é que o Governo do Estado voltou a registrar a diminuição do isolamento social nesta semana em Paulínia. O relatório divulgado pelo Sistema de Monitoramento Inteligente (SIMI) na terça, mostrou que Vinhedo foi a única cidade na Região Metropolitana de Campinas (RMC) entre as avaliadas a superar índice de 50%: ela alcançou 51%.

Paulínia ficou abaixo da média (47%), ou seja, redução de 14 pontos percentuais em comparação a semana passada.

“O momento é difícil para todos, mas, os casos têm aumentado e precisamos nos prevenir. Para que possamos dar boas notícias em breve, precisamos seguir as orientações das autoridades em saúde. Fiquem em casa, saiam somente em caso essencial. O distanciamento social visa preservar vidas e garantir nosso sistema de saúde”, disse o prefeito Du Cazellato através de suas redes sociais.


Especialista defende isolamento social como saída contra covid-19

“O isolamento social é a única saída para evitar um surto maior da covid-19 no interior de São Paulo”. É o que afirmou o professor Raul Borges Guimarães, do departamento de Geografia da Universidade Estadual Paulista (Unesp) no mês de abril ao portal de notícias da RMC, ACidadeOn

Um estudo realizado por pesquisadores da Unesp mostra que os casos no interior paulista estão três semanas atrás dos números registrados na capital e em regiões metropolitanas. Isso, segundo a pesquisa, seria por causa da prática do isolamento social, que deve ser seguida com mais eficácia.

"No momento, essa semana, estamos assistindo quase o limite máximo da capacidade hospitalar da cidade de São Paulo, então estamos em uma semana estratégica, que é preciso as pessoas acreditarem que o isolamento social é a única saída pra que a gente consiga passar por toda essa situação dramática que está o Brasil. Então, através do isolamento social, temos conseguido segurar, frear esse processo e com isso o próprio sistema hospitalar da região consegue dar conta da sua tarefa de atender as pessoas em situação mais grave, com complicações respiratórias, principalmente", afirma.

"Não é verdade que é uma gripezinha, isso não é verdade. Porque ela tem um potencial de internação 65 vezes maior do que uma Influenza. Então sobrecarrega os hospitais e na medida em que você perde o controle da curva, que é o que a gente não deseja, que será daqui duas a três semanas, então você vai ter um colapso sistêmico, mesmo quem estiver em uma cidade pequena, ao redor de Araraquara, que tem zero casos, você não pode imaginar como o risco está muito próximo de você. Não gostaríamos de ver algum parente, um amigo, ou vizinho, viver esse drama, como está sendo em São Paulo", finaliza.


Esclarecimentos dos casos em Paulínia

Para maior entendimento da população, a Prefeitura esclarece os dados publicados diariamente no boletim epidemiológico sobre o coronavírus.

Casos confirmados: É a somatória de todos os munícipes que desde o começo da pandemia foram infectados pelo coronavírus e incluí números de: curados, em tratamento e óbito. Este dado é cumulativo.

Casos suspeitos: São pessoas que estão com sintomas, sendo monitoradas pela Secretaria Municipal de Saúde e que aguardam pelo resultado de seus exames.

Casos descartados: São pessoas que tiveram os sintomas, fizeram os exames e o resultado foi negativo para a Covid-19.

Curados: São pessoas que tiveram coronavírus e foram curadas. Seja por tratamento hospitalar ou por meio de isolamento social, sempre com acompanhamento da Secretaria Municipal de Saúde. Esse número também se encontra dentro de “Casos Confirmados”.

Ocupação hospitalar: São pacientes que apresentam sintomas e estão sendo assistidos no Hospital Municipal de Paulínia. Esse número pode ter casos suspeitos, que aguardam os resultados dos seus exames, e também os casos já confirmados.