ONG Viralatinhas de Sumaré faz máscara para custear despesas com ração


As máscaras estão sendo vendidas em valores simbólicos e todo o valor arrecadado vai ser revertido em ração para os animais



O mesmo problema com a falta de recursos é enfrentado pela ONG Viralatinhas de Sumaré, a fundadora Maria Conceição Muniz Suguihara, disse que além das feirinhas, que ocorriam no Centro da cidade, todos os eventos também foram suspensos. “Não sabemos como vai ficar essa situação. E como não temos ajuda do poder público e dependemos exclusivamente de eventos e doações, é uma situação muito complicada. Percebemos que as pessoas estão com menos dinheiro e com isso pedindo mais ajuda para a ONG como atendimentos, consultas e cirurgias. Como não temos abrigo e não recolhemos animais, nas situações nas quais as pessoas nos pedem ajuda, porque não podem mais ficar com o animal, propomos a divulgar no site, Facebook e Instagram e peço encarecidamente que não abandone”, afirmou a fundadora. Para suprir um pouco essa dificuldade financeira, a ONG está conseguindo através de três voluntárias – Selma, Lilian e Nair – a confecção de máscaras de tecido para serem vendidas em valores simbólicos, e todo o valor arrecadado vai ser revertido em ração para os animais assistidos pela entidade e os que puder socorrer.

“Temos muita fé e esperança de que tudo vai passar e ficar bem”, completou. De acordo com a fundadora com relação às adoções nesse período, a ONG não constatou aumento. “Sempre avaliamos e questionamos que quando tudo isso passar o animal vai ficar com quem e como, pedimos que seja adoção responsável. E o grande desejo e pedido é para que as pessoas não abandonem, pode nos procurar que ajudamos divulgar pelas adoções e que também quem puder nos ajudar aceitamos doações de ração, sachês para gato e em espécie para atendimentos de urgência, consultas e castrações”, finaliza. Para conhecer o trabalho da ONG entre no site: Viralatinhas.com/Facebook Viralatinhas de Sumaré e Instagram Viralatinhasoficial. As informações são do jornal Tribuna Liberal.

© 2020 Jornal de Paulínia