Empresa que concluirá construção da Ponte da Rhodia é definida, porém segue sem previsão de entrega

O prazo de conclusão era de oito meses, ou junho de 2019, por cerca de R$ 6 milhões


A empresa que vai concluir a construção da ponte da estrada da Rhodia por R$ 1.168.639,55 será a Emparsanco Engenharia S/A vai. A homologação da concorrência pública foi publicada na edição extra do Semanário Oficial da segunda-feira (13). O prefeito Du Cazellato comemorou o fim da licitação, mas não informou a data do recomeço das obras. O trânsito de veículos está bloqueado no local há mais de cinco anos.

As obras de demolição da antiga ponte e da construção da nova na estrada da Rhodia começaram no dia 9 de outubro de 2018. O prazo de conclusão era de oito meses, ou junho de 2019, por cerca de R$ 6 milhões. Deve ser concluída agora por um valor maior e ainda pode ser entregue à população com mais de um ano e meio de atraso.

A nova licitação precisou ser feita após a Etama Construtura Ltda abandonar a obra praticamente pronta, no final do ano passado. A concorrência pública não teria previsto alguns serviços, como instalação de guarda-corpo, e não houve acordo entre Prefeitura e empreiteira para o término da ponte. O governo municipal alegou que estava impedido legalmente de fazer um novo reajuste no valor do contrato.

De acordo com a Prefeitura, a nova licitação precisou ser realizada para que serviços pendentes possam ser concluídos, como sinalização viária, instalação do guarda-corpo, mitigação ambiental e pavimentação asfáltica. “Após a conclusão desses pontos, a Prefeitura de Paulínia irá solicitar junto à Cetesb a licença de operação, e a ponte poderá ser liberada para uso”, explicou à época da abertura da licitação, em fevereiro deste ano.

A nova ponte é construída sobre o Ribeirão Anhumas, no limite de Paulínia com o distrito de Barão Geraldo, em Campinas. A ligação entre as duas cidades foi interditada por problemas estruturais em novembro de 2014, ou há cinco anos e cinco meses. À época, registrava Volume Diário Médio (VDM) de cerca de 4 mil veículos.

Fonte Paulínia 24 horas notícias

© 2020 Jornal de Paulínia