Prefeito Du Cazellato, vice e vereadores trocam de partido durante ‘janela’ partidária

Du Cazellato anunciou a troca para o Partido Liberal (PL) por meio das suas redes sociais



O prefeito Du Cazellato, o vice Sargento Camargo e nove dos 15 vereadores da Câmara de Paulínia aproveitaram o prazo para filiação e da janela partidária das eleições municipais deste ano para trocarem de partido político, conforme manda a legislação eleitoral.

Du Cazellato anunciou a troca de partido por meio das suas redes sociais no último dia 3.

“Anuncio hoje minha filiação ao Partido Liberal (PL), que sob a liderança do deputado federal Paulo Freire, abriu as portas e me recebeu muito bem”, disse.

Com as mudanças, sete partidos ficaram sem representantes eleitos na Câmara de Paulínia e outros dois ganharam cinco cadeiras no Legislativo paulinense. Já o PSDB perdeu o prefeito, o vice e vereador Edilsinho Rodrigues. O número de legendas com vereadores em Paulínia caiu de 12 para sete.

Veja qual político eleito em 2016 trocou de partido entre o início do mês passado e o dia 4 deste mês:


– Prefeito

Du Cazellato saiu do PSDB e foi para o PL.


– Vice-prefeito

Sargento Camargo saiu do PSDB e foi para o PSL.


– Vereadores

Edilsinho Rodrigues saiu do PSDB e foi para o Solidariedade;

Fábia Ramalho saiu do PMN e foi para o Podemos;

Fábio Valadão saiu do PRTB e foi para o PL;

Flávio Xavier saiu do DC e foi para o Podemos;

Manoel Filhos da Fruta saiu do PCdoB e foi para o Solidariedade;

Marcelo D2 saiu do PROS e foi para o DC;

Marcelo Souza saiu do PRTB e foi para o PSB;

Xandynho saiu do PSD e foi para o Podemos; e

Zé Coco saiu do PV e foi para o PSB.


A janela partidária vale somente para os vereadores interessados em disputar as eleições de 2020, para o mesmo cargo ou para prefeito, e mudar de partido sem sofrer punições, como a perda de mandato.

O prazo da janela partidária começou no último dia 5 de março e terminou no dia 3 passado, seis meses antes das eleições municipais de 2020, previstas para ocorrer no próximo dia 4 de outubro.

Já prefeitos, vices e demais candidatos precisavam estar com a filiação partidária regularizada no partido pelo qual desejam disputar as vagas até o último sábado (4). Também seis meses antes do pleito de 2020.

As alterações de legenda fizeram com que partidos que elegeram vereadores nas eleições municipais de 2016 perdessem representatividade na Câmara de Paulínia.


Fonte Paulínia 24 horas notícias

© 2020 Jornal de Paulínia