Administração propõe negociação e Paulínia volta a fazer parte dos associados do PCJ

Paulínia efetuou o pagamento das mensalidades referentes aos meses de outubro, novembro e dezembro de 2019



A cidade de Paulínia voltou a integrar o quadro de associados do Consórcio PCJ, após apresentar o pedido formal de retorno e proposta de parcelamento dos débitos acumulados, durante a 85ª Reunião Plenária da entidade, ocorrida na manhã da última quinta-feira (12) em Americana. O secretário de meio ambiente do município, Leonardo Viu, acompanhado da bióloga Jeanette Inamine Miachir, leu ofício do prefeito de Paulínia, Du Cazellato, solicitando a reintegração ao Consórcio PCJ, que foi aprovado pelo Conselho de Associados da entidade.

Paulínia efetuou o pagamento das mensalidades referentes aos meses de outubro, novembro e dezembro de 2019, e aguardava a aprovação de seu retorno pelo Conselho para que a Secretaria Executiva do Consórcio PCJ voltasse a emitir os boletos mensais de 2020, o que será retomado imediatamente, após a decisão de quinta.

Segundo o secretário de meio ambiente, o parcelamento das dívidas dos anos anteriores, que somam quase R$ 1 milhão com juros, serão negociadas entre os departamentos jurídicos das duas instituições.

“Por estar em juízo a cobrança dos débitos em atraso, a procuradoria municipal negociará com o jurídico do Consórcio PCJ o início do plano de parcelamento da dívida, num prazo máximo de 90 dias”, disse Viu, ao justificar o esforço do município em reintegrar o quadro de associados.

O presidente do Consórcio PCJ e prefeito da cidade de Nova Odessa, Benjamim Bill Vieira de Souza, elogiou o empenho do prefeito Du Cazellato em reintegrar Paulínia ao quadro de associados da entidade.

“Isso mostra um administrador preocupado com o seu município, que buscou conversar e negociar com o Consórcio e nós, todos os associados, nutrimos grande valia pelo município de Paulínia. Sejam bem-vindos”, comentou na reunião.

Bill ainda lembrou que a cidade de Sumaré, lamentavelmente, não procurou o Consórcio PCJ para negociar seus débitos e nem demonstrou interesse em voltar a compor o quadro de associados. O município está inadimplente desde 2016 e os valores somam R$ 163.451,00.

O secretário de meio ambiente, Leonardo Viu, realizou convite ao presidente Bill para que a próxima reunião plenária do Consórcio PCJ seja realizada em Paulínia, o que foi prontamente aceito e aprovado.

“Paulínia foi palco de grandes decisões e eventos do Consórcio PCJ, inclusive de comemorações como a celebração de 10 e 20 anos de fundação da entidade”, atentou o secretário executivo do Consórcio PCJ, Francisco Lahóz.

© 2020 Jornal de Paulínia