Polícia Civil descobre túnel de 14 metros usado para furtar combustível da Petrobras

Representantes da Petrobras foram chamados e identificaram que o túnel estava a poucos metros da tubulação da multinacional



A Polícia Civil de Campinas investiga a construção de um túnel de 14 metros próximo a um duto da Petrobras no bairro Jardim São José. A estrutura subterrânea foi deflagrada na quinta-feira (5) e levantou suspeitas de furto de combustíveis após o asfalto começar a afundar e chamar atenção da prefeitura e da Sanasa, responsável pela rede de água e esgoto da cidade.

A reportagem da EPTV, afiliada da TV Globo, apurou no local que já era possível ver parte do túnel pelo buraco que se abriu no asfalto.

Representantes da Petrobras foram chamados e identificaram que o túnel estava a poucos metros da tubulação da multinacional. A empresa registrou boletim de ocorrência na delegacia. Ninguém foi preso.

Este foi o quinto caso de tentativa de furto de combustível de dutos da Petrobras em dois anos na cidade, informou a empresa. Foram duas tentativas no Jardim Londres, sendo uma executada e a outra não; uma no Jardim Nossa Senhora de Lourdes; uma no Parque Tropical e a mais recente no Jardim São José.


Túnel de 1,80 metro

A Petrobras foi avisada sobre o ocorrido após prefeitura e Sanasa verificarem que o buraco no asfalto não se tratava de um problema de pavimentação ou nas tubulações.

Dentro do terreno, uma barraca foi erguida, onde foram encontrados ferramentas, tintas e outros objetos dos suspeitos. Ela protegia a entrada do poço, que possui 1,8 metro de profundidade, e é a entrada para o túnel.

No túnel, escorado com madeira, funcionários da Petrobras perceberam que faltavam cerca de 5 metros de perfuração para que criminosos alcançassem o duto da multinacional. Na tubulação são transportados vários tipos de combustíveis.

O terreno onde fica a escavação foi alugado há cerca de dois meses com a finalidade de ser usado para um estacionamento de carros e caminhões, segundo o proprietário informou à reportagem. Ele, no entanto, acredita que o espaço nunca tenha sido usado para esse fim.

© 2020 Jornal de Paulínia