Inseticida para ações ‘anti dengue’ está indisponível em 31 cidades na região de Campinas

O procedimento está interrompido desde maio do ano passado porque o Ministério da Saúde deixou de fornecer



Os inseticidas para ações contra o mosquito Aedes aegypti está indisponível em 31 cidades da região de Campinas, segundo dados fornecidos por prefeituras para a EPTV, afiliada da TV Globo na região.

O procedimento está interrompido desde maio do ano passado porque o Ministério da Saúde, responsável por comprar e distribuir deixou de fornecer. O governo reconhece a falta do produto, mas alega que o produto é "última estratégia" para evitar doenças como zika, dengue e chikungunya.


Municípios sem inseticida antidengue

Águas de Lindoia

Americana

Amparo

Artur Nogueira

Campinas

Espírito Santo do Pinhal

Estiva Gerbi

Holambra

Hortolândia

Indaiatuba

Itapira

Jaguariúna

Lindóia

Louveira

Mogi Guaçu

Mogi Mirim

Monte Alegre do Sul

Monte Mor

Morungaba

Paulínia

Pedra Bela

Pedreira

Pinhalzinho

Santo Antônio de Posse

Santo Antônio do Jardim

Serra Negra

Socorro

Sumaré

Tuiuti

Valinhos

Vinhedo


O que diz o ministério?

Em nota, o Ministério da Saúde reconheceu a falta do produto e disse que 25 mil litros de inseticida foram distribuídos para estados de Pernambuco, Paraíba, Alagoas, Sergipe, Rio Grande do Norte, Piauí e Rio de Janeiro, onde o risco é considerado maior.

Além disso, destacou que a medida mais eficaz é a eliminação de focos de multiplicação do mosquito Aedes aegypti e o envolvimento de todas as esferas do governo e da sociedade é fundamental.

"Desde maio de 2019, o Brasil está desabastecido do inseticida Malathion devido à uma grande quantidade de produtos vencidos e com problemas de qualidade em razão de alterações químicas em sua formulação". Segundo a assessoria, neste mês 80 mil litros devem ser distribuídos no país e o Ministério já fez a compra de 300 mil litros de outro inseticida que será distribuído em fevereiro.

Fonte EPTV

© 2020 Jornal de Paulínia