Campanha Novembro Azul: a prevenção é o caminho

O câncer de próstata é o segundo com maior incidência nos homens e a estimativa de novos casos é de 68.220 ao ano


Vem chegando novembro e com ele o mês de prevenção do câncer de próstata. Segundo dados do INCA, o câncer de próstata é o segundo com maior incidência nos homens e a estimativa de novos casos é de 68.220 ao ano (2018 - INCA). A prevenção é o melhor caminho. Chamada de “Novembro azul” e realizada em vários países, a campanha visa alertar os homens com idade acima dos 50 anos sobre a doença e os seus riscos.

O câncer de próstata é a segunda principal causa de óbitos e a mais comum entre os homens em todo o mundo, perdendo apenas para o câncer de pele não melanoma. Por isso, as campanhas de conscientização, como o Novembro Azul, e os exames preventivos são cada vez mais necessários.

Segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), a estimativa é que o Brasil registre cerca de 68 mil novos casos da doença somente este ano, o que equivale a 7 diagnósticos por hora. Todos esses números servem de alerta e reforçam a importância da população conhecer e discutir o assunto.

Na fase inicial, o câncer de próstata não apresenta sintomas e, quando alguns sinais começam a aparecer, cerca de 95% dos tumores já estão em fase avançada, o que dificulta a cura.

Mesmo na ausência de sintomas, homens a partir dos 45 anos com fatores de risco ou 50 anos sem esses fatores devem ir ao urologista para conversar sobre o exame clínico (toque retal), que permite ao médico avaliar alterações da glândula, e também sobre o exame de sangue PSA (antígeno prostático específico).

Cerca de 20% dos pacientes com câncer de próstata são diagnosticados somente pela alteração no toque retal.

Muitos homens tem “medo” do diagnostico de câncer, mas os urologistas enfatizam que a medicina tem evoluído para proporcionar aos pacientes tratamentos menos invasivos e cada vez mais eficazes.

Novidades em exames de imagem são incorporadas ao cotidiano, como a ressonância magnética multiparamétrica, que torna mais precisas as indicações de biopsias, evitando procedimentos desnecessários.

Os tratamentos estão sendo personalizados e, para isso, prioriza-se o maior número de informações sobre o tumor, como: volume; extensão e grau de agressividade do tumor prostático, além de considerar a perspectiva de vida do paciente.

Sobre o Novembro Azul

O movimento surgiu na Austrália, em 2003, chamado November, aproveitando as comemorações do Dia Mundial de Combate ao Câncer de Próstata (17 de novembro).

No Brasil, o Novembro Azul foi criado pelo Instituto Lado a Lado pela Vida, em parceria com a Sociedade Brasileira de Urologia, com o objetivo de quebrar o preconceito masculino de ir ao médico e, quando necessário, fazer o exame de toque. No Brasil, os símbolos da campanha são o bigode e a cor azul.

© 2020 Jornal de Paulínia