Secretaria de Saúde determina instauração de sindicância no caso do menino Nícolas

A sindicância deverá apurar quais foram as causas da morte e se houve algum tipo de negligência


A Secretaria de Saúde de Paulínia informou na terça-feira (22) que determinou a instauração de uma sindicância para investigar a morte do estudante Nícolas Samuel Ribeiro de Oliveira, de 9 anos, que morreu no Hospital Universitário de Jundiaí. De acordo com a mãe do menino, a dona de casa Kelen Regina Ribeiro, Nícolas não recebeu o diagnóstico correto no Hospital Municipal de Paulínia (HMP).

A sindicância deverá apurar quais foram as causas da morte e se houve algum tipo de negligência por parte dos profissionais de saúde que atenderam o garoto. Quando a investigação termina ou os métodos de investigação não foram informados. Os profissionais que vão compor o processo também não foi comunicado. Kelen relatou que é a favor da investigação.

“Não quero que outras mães sofram, a questão agora é essa. Com os exames certos, tudo poderia ter sido evitado”, afirmou a mãe.

Histórico

Kelen relatou que o menino começou a passar mal no domingo (13) passado. Ele sentia dores de barriga e não queria se alimentar. Nícolas foi levado ao hospital e o médico que realizou atendimento receitou Dipirona e Prasil. Como não houve melhora e o quadro piorava, o garoto foi novamente levado ao hospital, na terça-feira (15).

De acordo com Kelen, mais uma vez foi receitado Dipirona e dessa vez foi dado soro. O médico que atendeu Nícolas disse que se tratava de uma virose. Porém, a criança não apresentava avanços em seu estado de saúde e na quinta-feira (17) o menino foi levado mais uma vez ao HMP. Dessa vez, com o estado de saúde ainda mais agravado, e atendido por uma médica, Nícolas ficou internado e foi realizado um exame de Raio-X.

Os profissionais que atenderam o estudante disseram que ele tinha uma pneumonia. Enquanto isso, a saúde de Nícolas piorava. Como em Paulínia não existe UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) Infantil, ele foi levado para Jundiaí na sexta (18).


Cremesp

O Cremesp (Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo) informou na quarta-feira (23) que investigará a morte Nícolas.

Confira a nota emitida pelo Cremesp: “O Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp) informa que, até o momento, não foi acionado oficialmente sobre esta ocorrência. No entanto, diante da exposição do caso na mídia, vai instaurar sindicância (ex officio) para apurar eventuais infrações éticas cometidas por médicos no exercício da profissão. No caso em questão, o Cremesp investigará se houve indícios de má conduta ética e profissional”.


Leia a nota da Secretaria de Saúde sobre o caso

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) informa que determinou a Direção do Hospital Municipal de Paulínia (HMP), a abertura de sindicância interna para apuração dos fatos relacionados ao atendimento do paciente N.S.R.O., que veio a óbito no domingo (20) no Hospital Universitário de Jundiaí, após ser atendido no HMP.

A Secretaria de Saúde na pessoa do secretário doutor Fábio Alves, reitera o compromisso da atual Administração pela busca incessante da melhoria da assistência prestada a população de Paulínia, com qualidade, atendimento humanizado, transparência e ética profissional.

Toda Prefeitura de Paulínia se solidariza com os familiares em sua dor, manifestando pesar, assim com o compromisso de investigação na busca do completo esclarecimento sobre o ocorrido.

Fonte Portal Zatum

© 2020 Jornal de Paulínia