Justiça aceita denúncia e bloqueia bens do vereador Tiguila Paes

Parlamentar informou que ainda não foi notificado e alega inocência no processo


A Justiça aceitou uma denúncia e bloqueou os bens do vereador Tiguila Paes (PRTB). O pedido foi feito pelo MP-SP (Ministério Público de São Paulo) em um processo sobre golpes em venda de terrenos na cidade. Além do parlamentar, outras oito pessoas também tiveram a mesma sentença.

Tiguila vai responder pelos crimes de organização criminosa, estelionato e lavagem de dinheiro. O processo corre em segredo de Justiça. Os fatos ocorreram entre os anos de 2014 e 2015, quando os réus citados agiram junto com outros denunciados para enganar várias pessoas por meio da simulação de venda de casas no Residencial Pazetti e em outros empreendimentos. As vítimas, atraídas pelo preço acessível, pela desburocratização da venda e possibilidade de pagamentos parcelados, foram enganadas e acabaram sendo lesadas pelo grupo criminoso. De acordo com a Promotoria, o golpe foi possibilitado com o envolvimento de Tiguila, de outros servidores públicos, ainda não identificados e de uma entidade. Após a consumação dos crimes de estelionato e na posse do dinheiro obtido de forma criminosa, os réus passaram a ocultar e a dissimular a natureza, a origem, a localização e a disposição dos bens e valores provenientes dos crimes de estelionato. "O bloqueio dos bens visa, dentre outros fins, garantir o ressarcimento das pessoas lesadas, ao final do processo", disse a nota do MP-SP. Defesa Procurado pela reportagem do portal de notícias ACidadeOn, Tiguila informou que ainda não foi notificado. "No entanto, afirmo com veemência que, além de absolutamente inocente, também sou vítima do referido processo, contaminado por armações e acusações falsas contra mim e a minha família. Meus advogados já estão tomando as medidas cabíveis para que as verdades dos fatos venham à tona e prevaleçam, como sempre prevalecem", disse a nota.

Fonte ACidadeOn

© 2020 Jornal de Paulínia