Supremo Tribunal nega pedido de Loira para se manter no cargo

Prefeito interino pediu a suspensão da posse do prefeito eleito Du Cazellato e seu vice Sargento Camargo


Após a derrota nas urnas, o prefeito interino de Paulínia, Antonio Miguel Ferrari, o Loira (DC), protocolou um pedido ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), pedindo a suspensão da posse do prefeito eleito Du Cazellato e de seu vice, Paulo Camargo Júnior, ambos do PSDB.

Mas, na terça-feira (17), Loira teve mais uma derrota, quando o ministro do TSE, Ricardo Lewandowski, negou seu pedido.

O pedido de Loira era no sentido de suspensão da posse de Du Cazellato e Sargento Camargo, designada para o próximo dia 4 de outubro de 2019, até o julgamento final do Recurso interposto em face do deferimento do registro dos mesmos.

Em despacho de pouco mais de meia página, o Ministro Lewandowski negou o pedido sob o argumento: "Bem examinados os autos, verifico que o pedido não merece prosperar. Isso porque, nos termos do art. 299 do Código de Processo Civil, a tutela provisória será requerida ao juízo da causa e, quando antecedente, ao juízo competente para conhecer do pedido principal”.

Portanto mantida a posse de Du cazellato, que foi eleito com 13.119 votos na eleição suplementar. Loira ficou no quarto lugar no pleito suplementar, com 5.535 votos.

© 2020 Jornal de Paulínia