Du Cazellato é eleito o novo prefeito de Paulínia

O candidato e seu vice, Sargento Camargo conquistaram 26,99% dos votos válidos


No último domingo (1º), os eleitores paulinenses elegeram o novo prefeito e vice do município, que exercerão o mandato tampão até o final de 2020.

Du Cazellato e Sargento Camargo (PSDB) foram eleitos com 26,99% dos votos, uma soma de 13.119.

No inicio da campanha, o prefeito Du Cazellato teve que enfrentar o Diretório Estadual do partido, que tentou intervir no Diretório Municipal, para conseguir concorrer nessa eleição suplementar. Saiu vitorioso tanto na disputa interna quanto no pleito.

Outros candidatos

Em segundo lugar, Nani Moura (MDB) obteve 11.211 votos, Tuta Bosco (PPS), que ficou em terceiro, teve a soma de 9.845, em quarto lugar, o atual prefeito interino, Loira (DC) com 5.535, Capitão Cambuí (PSL), quinto colocado, com 4.361, logo em seguida, Coronel Furtado (PSC), 1.913, Ângela Duarte (PRTB), sétima colocada com 1.212, em oitavo, Custódio Campos (PT) ficou com 1.054 e com a nona e ultima colocação, Marcelo Barros (PSOL) com 723.


Abstenções, nulos e brancos

A apuração dos votos mostrou que o número de abstenções (18.685) superou o total de votos de Cazellato, uma diferença de 5.449. Na história das eleições para prefeito de Paulínia, é a primeira vez que a quantidade de eleitores ausentes fica acima da votação recebida pelo candidato eleito. Além disso, do total de eleitores que foram às urnas - 3.700 - anularam o voto, e 2.130 votaram em branco.


Entrevistas

Em sua primeira semana como prefeito eleito, porém ainda sem tomar posse, Du Cazellato atendeu a imprensa e concedeu entrevista a diversos veículos de comunicação da região.

“Aproveitei o dia de hoje para atender a imprensa regional, falar das eleições, do nosso plano de governo e mostrar que nesse governo prezamos pela transparência”, disse Du em sua rede social.


Mutirão e construção de UPAS

Em entrevista ao G1, Cazellato disse: "Com os mutirões a gente vai zerar ou quase zerar essa fila de espera. Tem gente há dois anos na fila para cirurgia. A ideia é implantar uma das UPAs no bairro São José, onde já tem uma UBS, e outra na região do Monte Alegre. As UBSs hoje são reflexo do hospital. Se falta no hospital vai faltar nas UBSs. Nós precisamos informatizar, às vezes sobra medicamento em uma UBS e falta em outra, não tem comunicação", disse o prefeito eleito.


Polo Festival de Cinema

Cazellato disse que não pretende retomar o funcionamento do Polo Cinematográfico de Paulínia, abandonado pelos governos da cidade e construído com a promessa de impulsionar produções nacionais e internacionais na região. O chefe do Executivo também não vai reimplantar o Festival de Cinema do município, criado para ser uma referência no setor e que teve a sexta e última edição em 2014.

"A retomada do polo não é uma prioridade. Estamos focados na área da saúde, da mobilidade urbana. O polo e o festival de cinema ficam para o segundo plano. No momento não tem previsão de retomar", afirmou.


Escolas em tempo integral

Cazellato afirmou ainda que pretende transformar cinco das 17 escolas municipais de Paulínia em unidades de tempo integral. Além disso, a ideia do novo prefeito é fazer um convênio com o Programa de Mestrado Profissional para Qualificação de Professores da Rede Pública de Educação Básica (ProEB) e vai abrir licitações para implantar mais escolas e zerar a fila de 100 crianças em creches.


Transição de governo

A transição de governo começou na quinta-feira (5) na Prefeitura de Paulínia. A Administração interina informou que representantes do prefeito eleito, Du Cazellato se reuniram com as equipes do gabinete de Loira, da Secretaria Municipal de Negócios Jurídicos e de licitações.

A assessoria de Du Cazellato confirmou a reunião e informou que o prefeito eleito irá indicar nove pessoas para compor a comissão de transição:


Marcelo Mello;

Lucia Helena Giunco;

Wilson Amaro;

Luciana Marinho;

Tânia Mara Cunha Romano;

Meire Muller;

Sérgio Luís da Silva;

Adriano Mariano;

E Ricardo Politano.


Os trabalhos terão a coordenação de Marcelo Mello. O grupo irá atuar em conjunto com mais cinco pessoas que serão indicadas pelo prefeito interino. “Serão dias de muito trabalho e dedicação para colocar Paulínia em ordem”, previu Du Cazellato.

A transição de governo é lei em Paulínia desde maio de 2017. O autor da iniciativa é o prefeito cassado Dixon Carvalho (PP). Dixon, quando eleito em 2016, não conseguiu tomar pé da situação da Prefeitura antes de assumir o cargo porque o então prefeito José Pavan Júnior (PSDB) se recusou a passar informações ao sucessor no período entre pós-eleições municipais e posse do eleito.

A Lei nº 3541, de 4 de maio de 2017, institui a transição democrática de governo, dispõe sobre a formação de equipe de transição, define seu funcionamento e dá outras providências.

A equipe de transição terá acesso a informações relativas a contas públicas, dívida pública, inventário de bens, programas e projetos da Prefeitura, convênios e contratos administrativos, bem como o funcionamento dos órgãos e entidades da Administração municipal e à relação de cargos, empregos e funções públicas, entre outras.


Secretariado

Na noite da última quarta-feira (4), o prefeito Du Cazellato anunciou em sua rede social a volta de Marcelo Mello no comando da Secretaria Municipal de Obras e Serviços Públicos; e de Meire Miller, da Educação. Ambos fizeram parte do primeiro escalão do governo interino do tucano entre novembro de 2018 e janeiro deste ano.

O prefeito eleito adiantou, em entrevista a imprensa regional, que 90% do secretariado de sua gestão provisória deverá novamente fazer parte de seu agora mandato-tampão até 31 de dezembro de 2020. No entanto, não divulgou nem confirmou nenhum outro nome, como o de Leonardo Ballone, para a Secretaria Municipal de Chefia de Gabinete do Prefeito.


Posse

Du Cazellato vai tomar posse no cargo de prefeito de Paulínia no próximo dia 7 de outubro, mais de um mês depois de ter vencido a eleição suplementar . A informação foi confirmada pela Câmara Municipal na segunda-feira (2).

A data da posse de Du Cazellato e Sargento Camargo foi marcada pelo Legislativo paulinense após ser comunicado da decisão do juiz eleitoral de agendar a diplomação dos eleitos para o próximo dia 4, uma sexta-feira, no Cartório Eleitoral da cidade.

A resolução do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), que fixou data e estabeleceu instruções da eleição suplementar em Paulínia, definiu que a data da diplomação do prefeito e vice eleitos “será fixada em ato próprio pelo juiz eleitoral, obedecido o prazo limite de 4 de outubro.”

Fontes: Paulínia 24 Horas Notícias/G1/Correio Paulinense