Após proibição da participação de Edson Moura, campanha de Nani aguarda decisão judicial

Segundo o Ministério Publico, a participação do marido confunde o eleitor

O Ministério Público pediu, através de uma Ação de Investigação Judicial Eleitoral, e a Justiça Eleitoral deferiu, liminarmente, que o ex-prefeito Edson Moura não participasse mais da campanha eleitoral de sua esposa Nani desde o último dia 23.

Segundo consta no processo, a participação de Edson Moura confunde o eleitor, pois ele se coloca como candidato de fato, mas, no papel a candidata é a sua esposa. Na ação foram apresentadas várias provas da participação de Edson Moura em atos da campanha de Nani, onde ele assume compromissos e faz promessas como se ele, de fato, fosse o candidato.

Além disso, por mais de uma vez, a própria candidatai afirmou que, se for eleita, o esposo terá participação em sua eventual administração.

Segundo a investigação judicial, ‘Edson Moura, político influente na cidade, tem atuado ativamente na campanha de sua companheira, apresentando-se, ele mesmo, em algumas ocasiões, como o autor das mudanças que pretende ver implementadas no Município’. De acordo com a decisão judicial, a atuação de Edson Moura ultrapassa um mero apoio político, vai muito além, a ponto de dar à população a sensação de que ele próprio será o Chefe do Poder Executivo, o que de fato não se pode admitir. Para que não haja confusão para o eleitor, a juíza emitiu a seguinte decisão: ‘Dessa forma, com o intuito de evitar que a conduta cause indevida confusão nos eleitores, tenho que se mostra razoável a proibição de participação do ex-prefeito Edson Moura de todos os atos de campanha de sua companheira e vice candidato, incluindo os veiculados em redes sociais”.

Nani e Edson Moura apresentaram sua defesa na sexta-feira (30) porém, o processo segue nas mãos da Juíza, que não expediu a sentença definitiva. Caso seja dada procedência aos pedidos do Ministério Público, o registro da candidatura de Nani e seu vice Cícero Brito poderá ser cassado e, consequentemente, os votos atribuídos a esse chapa poderão ser anulados.

Edson Moura já praticou conduta semelhante nas eleições municipais de 2012, conseguindo, através de fraude reconhecida pelo Poder Judiciário, a eleição de seu filho, posteriormente cassado, o que acarretou à cidade duro período de trocas sucessivas de prefeitos. Atualmente Edson Moura, ex-prefeito da cidade, está com os direitos políticos suspensos.

Outro lado

A assessoria de imprensa da campanha de Nani Moura informou que “a campanha respeita as decisões judiciais”. PROCESSO: Nº 0000093-68.2019.6.26.0323 - AÇÃO DE INVESTIGAÇÃO JUDICIAL ELEITORAL

© 2020 Jornal de Paulínia