Du Cazellato pede licença do cargo de vereador para se dedicar à campanha para prefeito

"Moralmente não me sentiria bem fazendo campanha e recebendo dinheiro sem trabalhar" disse o candidato


O vereador e candidato a prefeito de Paulínia, Du Cazellato (PSDB) pediu licença do cargo no legislativo na última segunda-feira (5) para se empenhar na sua campanha.

A propaganda eleitoral está liberada desde o sábado (3) podendo ser feita até um dia antes da eleição, ou seja, sexta-feira dia 31 de agosto.

Os nove candidatos a prefeito de Paulínia têm apenas 28 dias para tentar conquistar os votos dos eleitores paulinenses.

"Para começar essa campanha, decidi que um dos meus primeiros atos era me licenciar do cargo de vereador para fazer minha campanha para prefeito", disse Cazellato.

Por lei, Du Cazellato não precisaria se afastar do cargo de vereador. Esse é um ato inédito na histórias das eleições em Paulínia.

"Moralmente não me sentiria bem fazendo campanha e recebendo dinheiro sem trabalhar", afirmou Du em vídeo na sua rede social.

Além de se licenciar, Du Cazellato determinou também a dispensa de seus assessores parlamentares.

"Acredito que essa atitude de me licenciar representa muito o que nossa cidade precisa: respeito com o dinheiro publico e honestidade com as pessoas", finalizou.

Segundo o TSE, não há na Constituição e na Lei Complementar nº 64/90, restrição à sua plena elegibilidade. Por isso, os titulares de cargos legislativos podem se candidatar a outros cargos, sem necessidade de afastamento. Assim, senadores, deputados e vereadores podem permanecer no exercício de seus mandatos e concorrerem a qualquer um dos cargos em disputa nas eleições.

O vídeo em que Du Cazellato informa sobre a licença obteve muitos comentários positivos admirando a atitude do candidato.

Na primeira sessão após o recesso de julho, que ocorreu na noite de terça-feira (6), o suplente Marcelo Souza (PRTB) assumiu o lugar de Du.

Du Cazellato concorre ao lado do Sargento Camargo pela coligação "Paulínia com Atitude" (PSDB-PL).

© 2020 Jornal de Paulínia