Vídeo de grave acidente na Santos Dumont viraliza nas redes sociais

O vídeo mostra o motociclista ‘empinando’ sua moto na companhia de amigos, de forma arriscada e imprudente


Nesta semana, um vídeo de um impressionante acidente de um motociclista viralizou nas redes sociais. Um rapaz sobreviveu a um acidente, quando foi atropelado por um carro no Km 93 da Rodovia Santos Dumont (SP-075), em Campinas, enquanto empinava sua moto, na madrugada do último sábado. O vídeo mostra o motociclista ‘empinando’ sua moto na companhia de amigos, de forma arriscada e imprudente. Em determinado momento, ele chega a soltar as mãos do guidão.

No choque, o condutor do automóvel, que provavelmente não notou a presença da moto, arremessou o corpo do motociclista para longe. Segundo a Polícia Militar Rodoviária, o jovem de 19 anos, surpreendentemente teve apenas ferimentos leves. Ele foi socorrido pelo resgate da AB Colinas e encaminhado à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do São José.

Apesar do forte impacto, que praticamente destruiu a moto e a frente do carro, estraçalhando o para-brisa, os quatro integrantes do veículo saíram ilesos. A colisão aconteceu por volta das 3h40, na faixa da esquerda, no sentido Indaiatuba. De acordo com a PMR, nenhum dos envolvidos estava embriagado.

Em outro vídeo, posterior ao acidente, o jovem aparece ironizando o episódio. "Vai veno, vai veno. Tô morto. Aí mãe, falaram que eu tô morto. Que eu sofri acidente. Fala pra eles onde eu tô, mãe (sic)", satiriza em um dos quartos da sua casa. O jovem interage também com uma moça, aparentemente sua irmã, e em determinado momento brinca dançando.

Segundo o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), é infração gravíssima utilizar-se de veículo, em via pública, demonstrar ou exibir manobra perigosa, arrancada brusca, derrapagem ou frenagem com deslizamento ou arrastamento de pneus. A multa pode chegar a quase R$ 3 mil. A penalidade contempla ainda o recolhimento Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

A PMR informou que a penalidade só será aplicada após investigação da Polícia Civil. Isso porque os policiais que atenderam a ocorrência não presenciaram o acidente e, por isso, não estavam aptos a estabelecer o flagrante.

© 2020 Jornal de Paulínia