Tiguila Paes tenta reassumir cargo de vereador, mas Justiça nega pedido

O vereador e mais dez pessoas foram denunciadas pelo MP por atentado contra a liberdade de trabalho

Pela segunda vez o vereador de Paulínia Tiguila Paes (PPS), fracassou em tentar reassumir o cargo nesta semana. A 1ª Vara de Paulínia e o Tribunal de Justiça negaram, na última segunda-feira (1°), a liminar para revogar a suspensão do parlamentar determinada pela Justiça no início do mês junho. Tiguila é suspeito de integrar um esquema de venda de intermediação de vagas de trabalho junto a cooperativas da região de Paulínia e de Cosmópolis.

A Justiça determinou também a suspensão de Elizaman de Jesus Lopes, o Carioca, do cargo de secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, que já foi exonerado da função.

Tiguila e mais dez pessoas foram denunciadas pelo MP por atentado contra a liberdade de trabalho, mediante associação criminosa e extorsão. O MP chegou a pedir a prisão preventiva do vereador, mas a medida foi negada pela Justiça, que preferiu a suspensão do cargo até julgamento da ação.

Pesa sobre o vereador a denúncia de que ele e um responsável por uma cooperativa de trabalhadores de Cosmópolis estavam conseguindo empregar pessoas na Refinaria de Paulínia (Replan), mediante ameaça e coação contra empresas terceirizadas da Petrobras.

De acordo com o inquérito policial, os indiciados faziam protestos e paralisações para obrigar as empresas a contratar os indicados. No dia 15 de maio, o então secretário Elizaman de Jesus Lopes foi preso e exonerado pela Prefeitura, mas quatro dias depois conseguiu um habeas corpus e foi nomeado novamente para a Secretaria de Desenvolvimento Econômico. No início de junho a Justiça determinou seu afastamento do cargo e ele foi exonerado.

Logo que a denúncia ficou pública, o construtor Jurandir Francisco Carneiro pediu à Câmara De Vereadores de Paulínia a cassação do mandato de Tiguila, por quebra de decoro. Os vereadores, no entanto, negaram o pedido. As informações são do jornal Correio Popular.

LEGENDA FOTO

© 2020 Jornal de Paulínia