Eleição suplementar em Paulínia poderá ocorrer em setembro

Data só depende da publicação da decisão no Diário de Justiça Eletrônico

No dia 14 do mês passado, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu, por unanimidade, a cassação de Dixon Carvalho (Progressistas) e Sandro Caprino (PRB) dos cargos de prefeito e vice-prefeito de Paulínia. A decisão abriu caminho para novas eleições no município, mas ainda estava pendente da publicação no Diário de Justiça Eletrônico (DJE) do TSE, que deverá ocorrer na sexta-feira (28).

Com isso, o Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP) já pode marcar a eleição suplementar em Paulínia, conforme determinado pela presidente do TSE, ministra Rosa Weber. O próximo prefeito exercerá o “mandato-tampão” até 31 de dezembro de 2020. A data será definida por meio de Resolução do TRE-SP, que será votada pelos desembargadores em uma das próximas sessões administrativas do tribunal. De acordo com o calendário eleitoral do TSE (Portaria 883/2018), divulgado pelo portal Correio Paulinense, as próximas eleições suplementares no país deverão ocorrer nos dias 7 de julho, 4 de agosto, 1º de setembro, 6 de outubro, 3 de novembro e 1º de dezembro. Caso a eleição em Paulínia seja marcada na próxima semana, o mais provável é que os eleitores vão às urnas dia 1º de setembro ou 6 de outubro. Os candidatos terão 45 dias para realizar sua campanha eleitoral.

Fonte Correio Paulinense

© 2020 Jornal de Paulínia