Pacientes de Paulínia reclamam da falta de medicamentos nas farmácias públicas

Muitos moradores tiram dinheiro do próprio bolso para adquirir os remédios

(Paulínia Online): Farmácia da UBS Centro vazia pela falta de remédios.

O portal de notícias Paulínia Online divulgou uma matéria sobre a dificuldade que os pacientes de Paulínia vêm enfrentando há meses com a falta de medicamentos nas farmácias da rede pública. Segundo o portal, muitos pacientes que não conseguem os medicamentos são obrigados a comprar. Ana Luíza Vilares, aposentada de 74 anos, foi na UBS Centro para retirar alguns remédios no dia 25 de abril, porém ela não conseguiu adquirir três.

"A gente compra o remédio na farmácia", afirmou. Questionada pelo portal há quanto tempo ela não consegue os remédios, a paulinense disse que já fazem quatros meses. A paulinense Maria Aparecida Rodrigues de Souza, confeiteira de 52 anos, conseguiu apenas um remédio em uma receita com seis medicamentos. Segundo ela, faz dois meses que não consegue os remédios. Perguntada sobre como faz para consegui-los, ela afirmou que também obtém os medicamentos com dinheiro próprio. "Eu ainda dou graças a Deus, por que eu consigo comprar, porque tem muitas pessoas que não têm como comprar... Um remédio que não poderia faltar no posto, a sinvastatina (medicamento que visa a redução dos níveis de colesterol LDL e triglicerídeos e aumento do colesterol HDL no sangue), não tem" disse. A Secretaria de Saúde de Paulínia informou ao portal, por meio da assessoria de imprensa, que a normalização da situação está prevista para o final deste mês de maio. Segundo a assessoria, 80% da cesta básica de remédios deverá estar disponível nos próximos 20 dias. As informações são do portal Paulínia Online.

© 2020 Jornal de Paulínia