Acusados de roubarem empresa de transportes em Paulínia são presos pela Policia Civil

A Polícia Civil cumpriu três mandados de prisão e um dos suspeitos está foragido

O juiz da 1º Vara de Justiça de Paulínia, Carlos Eduardo Mendes, na quarta-feira (24), determinou na última quarta-feira (24) a prisão temporária dos quatro acusados de roubarem uma empresa de transportes no bairro Santa Terezinha no dia 14 de abril. Pela manhã de quinta-feira (25), a Polícia Civil cumpriu três mandados de prisão e um dos suspeitos está foragido.

À tarde, os três detidos foram levados ao 2º Distrito Policial de Campinas, no bairro São Bernardo, enquanto a Polícia Civil fez diligências sobre o crime e procura o quarto elemento foragido da Justiça. O delegado Rodrigo Luís Galazzo poderá pedir a prisão preventiva, que não tem prazo para acabar, caso conclua que houve a participação dos investigados no roubo. Caso contrário, os suspeitos serão soltos, já que prisões temporárias duram cinco dias.


Roubo

Os criminosos chegaram à empresa por volta das 7h e renderam um porteiro, que foi agredido com socos e ameaçado de morte repetidas vezes. Um dos envolvidos disse que atearia fogo no corpo do trabalhador, caso houvesse algum tipo de reação. Testemunhas perceberam a movimentação estranha e acionaram a guarda. O quarteto fugiu e, na perseguição, os acusados acabaram presos na Rua São Bento, região Central da cidade.

Com os bandidos, foram encontradas máscaras e roupas usadas no crime. O porteiro reconheceu pelo menos um dos participantes e ele estava entre os presos pela guarda. Para entrar na empresa, eles arrombaram portas e quebraram objetos pessoais dos funcionários. A guarda ainda encontrou próximo à empresa uma Van Renault Máster e dois aparelhos de televisão de LED de 50. Um dos suspeitos era funcionário da transportadora e foi demitido por justa causa.

Um representante da empresa agradeceu o empenho da Polícia Civil e afirmou acreditar que os responsáveis pelo crime serão punidos segundo os rigores da lei.