Denúncia de leitor aponta irregularidades com número de funcionários em escola

rata-se da Escolinha Jardim da Valéria, é uma das 21 conveniadas pelo PROEB

Nesta semana, o Jornal de Paulínia recebeu uma denúncia de um leitor sobre irregularidades em uma unidade escolar no município. Trata-se da Escolinha Jardim da Valéria, que, segundo a Secretaria de Educação, é uma das 21 conveniadas pelo PROEB (Programa de Educação Básica).

Segundo a denúncia, diversos pais de alunos e funcionários reclamam do número de profissionais, por não atenderem à demanda dos discentes matriculados na unidade escolar.

"Estão trabalhando com somente uma pedagoga para todas as turmas, monitoras que não tem auxílio em momento algum, assumem muitas crianças sem o respaldo devido de quantidade e qualidade para realizar o serviço diário", diz parte da denúncia.

De acordo com o leitor, uma monitora fica em média com 15 à 20 crianças, assumindo todo o cuidado físico, fisiológico e pedagogo, pois a única que a escola possui não supre a demanda.

Há informações de que a unidade tenha passado por fiscalização neste ano, porém, a situação não fez com que as portas da escola fossem fechadas. Ainda de acordo com a denúncia, as profissionais até então não estavam registradas, trabalhando como estagiárias.

Em contato com a Secretaria Municipal de Educação, em relação aos questionamentos, a pasta esclareceu que a escola citada é conveniada pelo PROEB, existente na prefeitura desde 2011, com a finalidade de atender a enorme procura de vagas em creches.

De acordo com a secretaria, eles mantém uma equipe de fiscalização e controle que, inclusive, já interditou escolas ao longo desse período quando constatadas irregularidades.

"Será aplicado um Chamamento Público que norteará as escolas em seus aspectos pedagógicos, físicos e administrativos, o que minimizará ainda mais a possibilidade de ocorrência", disse a assessoria da pasta.

E ainda ressalta, que a grande maioria das escolas conveniadas vem atendendo satisfatoriamente, dentro das normas estabelecidas pela Educação e com a aprovação dos pais e comunidade. Outras, porém, estão em fase de ajustamento e adaptação às normas, sendo que todas as denúncias formais realizadas junto à Secretaria de Educação são analisadas e tomadas as medidas cabíveis.