Campanha Dezembro Laranja tem como foco a prevenção ao câncer de pele

O câncer mais frequente do país corresponde a cerca de 30% de todos os diagnósticos da doença

Não é à toa que, há alguns anos, o movimento para tornar dezembro um mês de prevenção ao câncer de pele ganhou força e forma.

Segundo o Inca (Instituto Nacional do Câncer), o câncer mais frequente do país corresponde a cerca de 30% de todos os diagnósticos da doença no Brasil e registra aproximadamente 180 mil novos casos por ano.

Assim, com uma incidência tão alta e uma prevenção que não acompanha o crescimento da doença, a Sociedade Brasileira de Dermatologia iniciou o movimento. Batizado de "Dezembro Laranja", o mês tem como foco a prevenção ao câncer de pele.

De acordo com estimativa do Inca, devem ser registrados, entre este ano e 2019, mais de 165,5 mil novos casos do tipo mais comum da doença, o câncer de pele não melanoma que, apesar da baixa letalidade, tem números muito altos.

Em 2013, apontam dados do Instituto, foram registradas 1.769 mortes provocadas pela doença.

Neste ano, assim como já aconteceu em 2017, o tema da campanha é "Se exponha, mas não se queime".

Características de risco

Caso de câncer de pele na família;

Pele muito clara que sempre fica vermelha e nunca bronzeada;

Cabelos claros;

Olhos claros;

Alto número de pintas pelo corpo;

Ocorrência de queimaduras de sol;

Sardas no rosto e ombros;

Sol sem proteção;

Possuir pintas que estão mudando de cor;

Possuir "ferida" que não cicatriza;

Idosos.

Prevenção

O câncer de pele pode ser prevenido evitando a exposição ao sol no horário entre 10h e 16h, período em que os raios são mais intensos e o maior fator de risco para o surgimento do melanoma é a sensibilidade ao sol – queimadura pelo sol.

A utilização de proteção com chapéu, guarda-sol, óculos escuros e filtros solares são fundamentais.

(Ilustrativa): A utilização de proteção com chapéu, guarda-sol, óculos escuros e filtros solares são fundamentais.