Judocas paulinenses se destacam em campeonatos dentro e fora do Brasil

A equipe Mercival conquistou três medalhas de ouro, uma de prata e uma de bronze em disputas no Equador e em Santa Catarina

Judocas paulinenses da Academia Mercival, se destacaram em duas competições no exterior e no Brasil. A equipe conquistou três medalhas de ouro, uma de prata e uma de bronze em disputas simultâneas ocorridas no Equador, de 15 a 18 deste mês; e em Santa Catarina, nos últimos dias 16 e 17.

Nos campeonatos Pan-Americano e Sul-Americano das classes Sub-13 e Sub-15 de Guayaquil, no Equador, quem brilhou foi a judoca Naomi, que, por exigência da regra nas competições internacionais, lutou com o nome de Gabriela Silva.

Primeiro, na disputa do Pan-Americano Sub-13, mais de 52kg, com adversárias do Equador, Colômbia, Estados Unidos e Argentina, a jovem paulinense não se intimidou no tatame e conseguiu passar pela fase classificatória da competição em segundo lugar.

Na briga do bronze, na madrugada de sábado (17), Naomi garantiu a posição de terceira melhor das Américas. Pelo Sul-Americano, disputado simultaneamente, ela voltou ao tatame no domingo (18) e venceu a revanche com a judoca que a tirou da final do Pan.

Exausta pelas lutas consecutivas, a paulinense acabou derrotada na final que acabou com disputa de 3 minutos de prorrogação e garantiu a medalha de prata no Sul-Americano. O judô brasileiro brilhou durante os três dias de competição internacional e o País liderou o quadro geral de medalhas em todas as classes tanto do Pan-Americano como no Sul-Americano.

No total, os judocas que representaram o Brasil subiram ao pódio 96 vezes. Cinquenta medalhas vieram do Sul-Americano e 46 do Pan-Americano, entre elas as de Naomi. As competições de Guayaquil encerraram o calendário 2018, nacional e internacional, das classes Sub-13 e Sub-15.

Com o bronze no Pan, Naomi obteve um feito inédito: tornou-se a primeira judoca, entre o masculino e o feminino, com base 100% de Paulínia a conquistar o título de terceira melhor das Américas. Em outras oportunidades, Leandro Cunha e Hemerson Redaelli conquistaram títulos internacionais pela equipe Mercival, mas Hemerson era de Cosmópolis e Cunha de São Jose dos Campos.

Enquanto os judocas se esforçavam nos tatames, o mestre sensei Mercival Breda Daminelli, mesmo em Paulínia, teve sua participação nas conquistas, acompanhando ao vivo via internet a atuação dos seus atletas e passando instruções para os faixas pretas no Equador por meio da sensei Monica Satiko Tahara, mãe da Naomi.

Interclubes

Já em Santa Catarina, o sensei Bruno Nogueira, pai do judoca André Pinheiro Nogueira, é quem recebia as instruções. Em tatame brasileiro, no 16º Meeting Interestadual Interclubes, os destaques foram os atletas Emanuelle Zorbetto Camilo, João Pedro Moura e Evellyn Vitória da Chagas Pereira. Todos brilharam no lugar mais alto do pódio e trouxeram a medalha de ouro para Paulínia.

Emanuelle venceu na categoria Sub-11 – 55kg; João Pedro, na Sub-13 – 42kg; e Evellyn, na Sub-13 – mais de 60kg. O judoca André Pinheiro Nogueira, Sub-11 – 36kg, também teve boa atuação e ficou em 7º lugar. Com esses resultados, a Academia Mercival/Paulínia, com apoio da Secretaria Municipal de Esportes nas competições internacional e nacional, terminou na terceira colocação na classificação geral do Meeting Interclubes.

Fonte Paulínia 24 noticias

(Divulgação): Naomi tornou-se a primeira judoca, entre o masculino e o feminino, com base 100% de Paulínia a conquistar o título de terceira melhor das Américas.