Com excesso de arrecadação, Dixon pede autorização para uso de crédito suplementar

Os quase R$ 30 milhões são visando atender educação, saúde e pagamento de encargos do município

(Internet): Os recursos são provenientes do excesso de arrecadação, para à Prefeitura fazer despesa pública.

O prefeito de Paulínia, Dixon Carvalho (Progressistas), pediu autorização para o Poder Executivo abrir Crédito Adicional Suplementar no valor de quase R$ 30 milhões, visando atender educação, saúde e pagamento de encargos do município.

Os recursos são provenientes do excesso de arrecadação, conforme pedido de autorização enviado à Câmara Municipal na sexta-feira (19), para à Prefeitura fazer despesa pública. Serão destinados R$ 13 milhões para a educação, R$ 5 milhões para a saúde e R$ 11.4 milhões para encargos do município.

Na educação o dinheiro deverá ser usado para divisão de educação infantil, manutenção de escolas de educação infantil, salários e vantagens fixas de pessoal.

No setor da saúde, o dinheiro deve ser destinado no Hospital Municipal de Paulínia, atendimento de urgência e emergência, manutenção do HMP e serviços de urgência, além de pagamentos de salários e vantagens fixas de pessoal.

Na área de encargos, o dinheiro deverá ser usado na administração geral, encargos especiais e interdepartamentais, pagamentos indenizatórios e restitutórios e indenizações e restituições.

Isso significa que a Prefeitura arrecadou mais do que o previsto no orçamento, o que contraria a constante informação oficial de que houve queda na arrecadação municipal.

Outro fato que chama atenção é que na planilha enviado à Câmara Municipal, a administração deixou de fora o mês de setembro.

Fonte Notícias de Paulínia

© 2020 Jornal de Paulínia