Operação que investiga furto de combustível na Petrobras apreende R$ 280mil

Ao todo, R$ 200 mil em dinheiro e R$ 83 mil em cheques foram apreendidos

A "Operação Bandeira Suja", comandada pelo Ministério Público (MP) de Minas Gerais realizou ações onde duas pessoas foram presas e seis mandados de busca e apreensão para residências e empresas foram cumpridos. A operação é contra o furto de combustíveis de dutos da Petrobras na região de Campinas. A ação ocorreu desde as 6h de quinta-feira (30).

Ao todo, R$ 200 mil em dinheiro e R$ 83 mil em cheques foram apreendidos. São 20 mandados de busca e apreensão, sendo 14 em MG, e dez de prisão, oito em Minas. Todos foram cumpridos. A investigação começou no mês de março deste ano.

Os alvos em SP são pessoas investigadas, residências de suspeitos e empresas que podem ser alvos das ações criminosas em Paulínia, Artur Nogueira e Cosmópolis. Os valores foram encontrados nas residências e nas companhias.

Além dos profissionais do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público de Campinas, policiais militares do Batalhão de Ações Especiais da PM (Baep) de Paulínia e policiais da Força Tática de Americana integraram a operação.

Furtos semanais

Segundo o MP, os furtos ocorriam semanalmente no interior paulista e o combustível era comercializado em postos de Minas Gerais. A região de Campinas é bastante "irrigada", de acordo com os promotores.

A técnica usada pelos criminosos para realizar os furtos é chamada de trepanação, que consiste na colocação de um dispositivo nos dutos da Petrobras, que saem de Paulínia para outros estados do Brasil.

Durante a ação da quinta-feira, os investigadores localizaram uma estrutura usada para essa prática em uma das empresas.

A Petrobras Transporte S.A - Transpetro, que cuida do transporte e da logística de combustível no Brasil, ainda não se posicionou sobre os furtos e prejuízos na região de Campinas.

(Ministério Público de Minas Gerais/Divulgação): Combustível era roubado da refinaria da Petrobras.

(Reprodução/EPTV): Bomba de sucção e mangueira foram apreendidos na operação Bandeira Suja, do Ministério Público, no interior de São Paulo.

Prisões e apreensões na região

As duas pessoas presas são homens e foram apresentados na delegacia de Cosmópolis, cidade onde residem. A suspeita é que atuavam em furtos na região e também em Minas Gerais. Segundo informações da polícia, um deles já tinha passagem por porte de arma e o outro tinha uma empresa de manutenção de caminhões-tanque. Com eles foram apreendidos parte dos valores em dinheiro e dois simulacros.

Um dos mandados do MP de Minas Gerais foi cumprido na Bahia. Segundo o órgão, o homem seria um integrante importante da quadrilha e dono de empresa em Paulínia. Já tem passagem criminal e um dos presos em Cosmópolis é filho dele. Os materiais apreendidos foram levados para o Gaeco de Campinas e, em seguida, encaminhados para o Gaeco de Minas Gerais.

(Reprodução/EPTV): Dinheiro em espécie foi apreendido com investigados presos na operação do Ministério Público, em Cosmópolis.

Investigação em Minas Gerais

De acordo com o Ministério Público de Minas, a operação combate furto e venda de gasolina da refinaria Gabriel Passos (Regap), em Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH). O crime é feito por uma organização criminosa com ramificação interestadual.

A estimativa do Gaeco de MG é que 40 mil litros de gasolina sem mistura estavam sendo furtados por semana da unidade. O prejuízo estimado à Petrobras é de aproximadamente R$ 3,5 milhões, conforme informado em entrevista coletiva nesta quinta-feira.

O combustível era armazenado em caminhões-tanque e transportado para o Sul de Minas Gerais, onde era vendido por uma rede de postos nas cidades de São Lourenço (MG), Pouso Alegre (MG) e Elói Mendes (MG).

Na ação, estão sendo apreendidos veículos de luxo, caminhões utilizados no transporte do combustível furtado e uma aeronave, cujo valor é de aproximadamente R$ 1 milhão. A investigação começou em março na cidade de Mário Campos (MG).

Fonte G1