Ex-prefeito de Indaiatuba é condenado a 23 anos por corrupção, lavagem de dinheiro e organização cri

Reinaldo Nogueira foi condenado em regime inicial fechado, mas pode recorrer em liberdade

A Justiça condenou o ex-prefeito de Indaiatuba Reinaldo Nogueira e mais cinco pessoas por crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa. A Procuradoria Geral do Estado investigou fraude na desapropriação de um imóvel.

O ex-prefeito foi condenado a 23 anos e 4 meses de prisão em regime inicial fechado. O recurso pode ser feito em liberdade.

A ação, ajuizada pelo promotor de Justiça Michel Betenjane Romano, envolveu um caso de corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa em fraude na desapropriação de um imóvel na área rural de Indaiatuba.

Nogueira já tinha sido condenado em junho a 15 anos de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

O local originou um distrito industrial destinado às micros e pequenas empresas. O intuito da desapropriação feita pelo ex-prefeito era valorizar o imóvel e tomar posse indevidamente de recursos. Reinaldo Nogueira e outros envolvidos desviaram recursos públicos municipais desapropriando um imóvel adquirido em 2004 por Leonício Lopes Cruz, pai do ex-prefeito, no valor de R$ 450.000,00.

Em junho de 2016 durante uma operação, ele chegou a ser preso no condomínio onde morava em Indaiatuba e solto em seguida. Além foram condenados o pai, Leonício Lopes Cruz, Josué Eraldo da Silva, dono da construtora Jacitara e ex-assessor parlamentar de Nogueira, o dono da empresa Bela Vista Rogério Soares da Silva, e as sócias Adma Patrícia Galacci e Camila Galacci.

A suspeita é de que as empresas compraram terreno na cidade que foi desapropriado pela Prefeitura e o valor pago foi muito maior do que o original. Todos foram condenados em regime inicial fechado, mas podem recorrer em liberdade. A defesa do empresário Rogério Soares da Silva e das sócias Adma Patrícia Galacci e Camila Galacci disse que a decisão contraria o que foi indicado nos autos e que vai recorrer. Já o advogado do ex-prefeito e de seu pai informou que já entrou com apelação. A defesa de Josué Eraldo da Silva não retornou o contato.

Na sentença o juiz coloca que o imóvel desapropriado teve seu valor irregularmente valorizado ao ter o zoneamento alterado em 2013. Com isso na desapropriação o imóvel teve o valor de e R$ 9.997.000,00.

Fonte A CidadeOn

(Internet): Em junho de 2016 durante uma operação, Nogueira chegou a ser preso no condomínio onde morava em Indaiatuba e solto em seguida.