Paulínia alavanca geração de empregos no setor da construção civil na RMC

Saldo positivo de 401 postos de trabalho em Paulínia é de 489 admissões, contra 88 demissões

O setor da construção civil fechou o mês de junho com saldo positivo de postos de trabalho na Região Metropolitana de Campinas (RMC). Paulínia foi quem alavancou o desempenho da região, com saldo positivo de 401 postos. No geral, a RMC fechou junho com saldo positivo de 24 vagas. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego.

O saldo positivo de 401 postos de trabalho em Paulínia é de 489 admissões, contra 88 demissões. Outros cinco municípios também tiveram saldo positivo no mês, sendo eles: Artur Nogueira, Cosmópolis, Engenheiro Coelho, Monte Mor e Santa Bárbara D'Oeste.

Campinas teve saldo negativo de 130 postos de trabalho, com 563 admissões contra 693 demissões. Em maio a cidade registrou uma queda ainda maior: saldo negativo de 239 vagas. No acumulado do ano, nos meses de janeiro a junho, a construção civil na RMC tem saldo negativo de 1.210 postos, com 11.230 trabalhadores contratados, e 12.440 demitidos.

Junho foi somente o segundo mês do ano que o setor mais contratou do que demitiu em toda a Região Metropolitana de Campinas. Apesar disso, o presidente da Habicamp, Francisco de Oliveira Lima Filho, afirma que as perspectivas para os próximos meses são boas. "Vai demandar de três a seis meses para as empresas se ajustarem, começarem a contratar fornecedores, empreiteiros, isso demanda um tempo para poder estar tudo montado. Então acredito que dentro de um a dois meses passaremos a ter informações mais positivas".

O setor da construção civil é responsável por mais de 9% do Produto Interno Bruto (PIB), e um dos maiores geradores de emprego. Porém, desde abril de 2014, o setor já fechou mais de 1 milhão de vagas em todo o país, retraindo em 34% o número de postos de trabalho.

Fonte CBN

(Ilustrativa): O setor da construção civil é responsável por mais de 9% do Produto Interno Bruto (PIB), e um dos maiores geradores de emprego.