Escola de Cadetes do Exército em Campinas incluirá sistema de cotas em seu processo seletivo

Segundo a EsPCEx, atualmente 42% dos alunos na escola são negros ou pardos

A Escola Preparatória de Cadetes do Exército (EsPCEx), em Campinas, incluirá em seu processo seletivo deste ano o sistema de cotas para candidatos autodeclarados negros e pardos. A novidade obedece uma determinação do Supremo Tribunal Federal (STF) que, no mês de abril, ordenou que todo e qualquer concurso das Forças Armadas reservasse 20% de suas vagas para pessoas negras ou pardas. Na semana passada, o Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), por exemplo, incluiu este sistema em seu vestibular. Com a novidade, o número deve crescer para esta edição do processo seletivo da escola militar, já que das 445 vagas destinadas, 80 serão para negros do sexo masculino e nove para mulheres.

Segundo a EsPCEx, atualmente 42% dos alunos na escola são negros ou pardos. Ainda de acordo com a escola, todos os cotistas serão submetidos a uma "comissão de verificação", com o objetivo de evitar fraudes e verificar se o candidato é de fato negro ou pardo. Em caso de falsa declaração, o candidato será excluído do processo seletivo. As inscrições encerraram no começo deste mês e, segundo a EsPCEx, cerca de 41 mil pessoas concorrerão a uma vaga — 30 mil homens e 11 mil mulheres.

Para efeito de comparação, é como se o curso de formação na Escola de Cadetes — com 92,1 candidatos/vaga — fosse o terceiro mais concorrido da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), atrás somente de medicina, com 278,9 candidatos/vaga e arquitetura e urbanismo, com 97,6. A passagem pela EsPCEx é obrigatória para todos os jovens que sonham em um dia seguir carreira no Exército. Em Campinas, o aluno permanece alojado por um ano durante o seu período de formação.

Se conseguir se formar, é enviado para a Academia Militar de Agulhas Negras, em Resende, no Rio de Janeiro, onde foca seus estudos na carreira militar por mais quatro anos, antes de ingressar no Exército, como tenente.

Fonte Grupo RAC

(Internet): A passagem pela EsPCEx é obrigatória para todos os jovens que sonham em um dia seguir carreira no Exército.

© 2020 Jornal de Paulínia