Em nota enviada à imprensa, Kiko Meschiati se pronuncia sobre situação judicial

No ano de 2004, o vereador virou réu numa ação que apurou a distribuição de R$ 1,9 mil em notas falsas

A assessoria do vereador Kiko Meschiati (PRB), divulgou na noite da última sexta-feira (13) uma nota do parlamentar sobre a situação judicial que o parlamentar está enfrentando, atualmente. Na quarta-feira (11), Meschiati se apresentou à Polícia Federal de Campinas, para começar a cumprir 4 anos e 8 meses de reclusão, no regime semiaberto. A pena foi imposta em segunda instância pela Justiça Federal. Ainda cabem vários recursos às instâncias superiores do judiciário.

No ano de 2004, Kiko Meschiati virou réu numa ação que apurou a distribuição de R$ 1,9 mil em notas falsas no comércio local. O primo do vereador, Éverson Meschiatti, condenado no mesmo processo, teria vendido um notebook e recebido o pagamento em dinheiro falsificado. Uma nota de 50 reais foi utilizada numa padaria da cidade, cujo dono reconheceu que a cédula era falsa e chamou a polícia.

Sem nenhum outro registro criminal em sua ficha, Kiko também é empresário, têm residência fixa e atua na Câmara Municipal fazendo oposição ao atual governo municipal. A Câmara aguarda o desdobramento do caso para tomar eventuais medidas cabíveis, nesse caso.

Nota à Imprensa

"Depois de esgotados todos os recursos jurídicos cabíveis a que todo cidadão tem direito, me apresentei espontaneamente às autoridades competentes para iniciar o cumprimento da sentença a qual me foi imposta pela Justiça Federal, pois, independente da minha inocência, tenho o dever de respeitar e acatar a decisão da Justiça, seja ela qual for.

Tenho certeza que logo estarei de volta à minha empresa, onde emprego mais de 50 pais de família e à Câmara Municipal, onde continuarei defendendo o povo da minha cidade com o mesmo afinco, lutando pelos interesses da população paulinense, combatendo todos os desmandos que colocaram Paulínia no caos no qual se encontra, e que a cada dia só piora.

Sou um cidadão de bem, pai de família e um homem público comprometido com o bem estar do povo da minha cidade. Portanto, não será um fato ocorrido há 14 anos que apagará minha trajetória honesta, como cidadão e Vereador desde janeiro do ano passado.

Sigo firme e forte, enfrentando as dificuldades e todos os desafios impostos a mim, amparado pelo amor da minha família e amigos, mas, sobretudo, pela fé inabalável que tenho em Deus. Um forte abraço e fiquem com Deus".

Fonte Correio Paulinense

(Internet): No mês de junho, por meio de nota, Meschiatti, disse ser inocente.