Funcionalismo público decreta estado de greve após falta de diálogo com executivo

STSPMP divulgou carta aberta à população para informar que a categoria entrou em estado de greve

Na manhã de terça-feira (19), o Sindicato dos Trabalhadores do Serviço Público Municipal de Paulínia (STSPMP) divulgou carta aberta à população para informar que a categoria entrou em estado de greve.

O sindicato alega que vem tentando diálogo com a administração do prefeito Dixon Carvalho (PP) para solucionar as pendências com a implementação do PCCV (Plano de Cargos, Carreira e Vencimentos) há meses, mas que nada acontece.

Eles apontam que devido à falta de solução, muitas unidades escolares ficam sem professores, que não recebem os valores correspondentes às horas trabalhadas. "Muitos servidores tiveram suas progressões indeferidas por falta de critérios e ainda há serventes, monitoras e guardas noturnos, digitadores, radiologistas, entre outros, segmentos da categoria que simplesmente nem foram ouvidos e que precisam da adequada regulamentação de suas atividades para que possam trabalhar sem sofrer os desmandos da administração, que resultam também em perda da qualidade do atendimento à população", informa a carta.

Eles dizem que o prefeito não faz nenhuma proposta para resolver esses problemas e que trabalha contra a população e os servidores.

(Rede Social STSPMP): Servidores em ato na Câmara de Vereadores de Paulínia.

Rede Social

Por meio de página o Sindicato divulgou na quarta-feira (20), a seguinte nota direcionada aos servidores públicos:

“O Sindicato dos Trabalhadores do Serviço Público Municipal de Paulínia (STSPMP) recebeu um documento relativo ao compromisso assumido pelo prefeito Dixon. Ao invés de fazer um documento somente da Prefeitura, e assinado pelo prefeito, eles fizeram no formato de uma Ata e que deveria ser assinada também pelo Sindicato. Por se tratar de uma Ata, que, portanto precisa corresponder exatamente ao que foi tratado em reunião, a assessoria jurídica do Sindicato procederá sua análise detalhada e apresentará as devidas considerações, para somente após ser assinada, vez que se refere à questões não abordadas diretamente, bem como não contempla outros aspectos deliberados. O documento precisa expressar de forma inequívoca os compromissos assumidos pelo Prefeito, que foram:

1) Os servidores serão devidamente enquadrados conforme o PCCV (LC 65 e 66 de 2017) na folha do mês de julho, e vão receber os efeitos financeiros do correspondentes ao enquadramento da implementação do Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos (PCCV) no pagamento do adiantamento, dia 15 de julho;

2) O prefeito determinou um estudo ao Departamento de Recursos Humanos (DRH) e à Secretaria de Finanças para apresentar uma proposta de pagamento, provavelmente via um parcelamento, da diferença relativa ao enquadramento retroativo do primeiro semestre, reconhecendo o dever de pagar os referidos valores;

3) Na próxima quinta-feira (28) o Sindicato estará em nova reunião com a Prefeitura para análise dos dados e estudos, quando a Prefeitura deverá fazer uma proposta de pagamento desses valores do primeiro semestre, para que, posteriormente, o Sindicato leve à categoria para deliberação em assembleia a ser convocada, e os servidores apreciem a documentação fornecida pela prefeitura.

Parabéns aos servidores mobilizados pelo combate de garantir a plena implementação do PCCV, com as participações nas assembleias e nos atos realizados, seja na Câmara de vereadores, seja na Prefeitura.

Sabemos que somente assim conseguiremos efetivar nossos direitos. Levaremos essas ponderações à Prefeitura e comunicaremos a categoria.

O compromisso por ora assinado pelo Prefeito é um importante passo para resguardar a plena implementação do PCCV na folha do mês de julho, com os pagamentos devidos. Seguimos mobilizados e vigilantes para que não haja qualquer desrespeito aos servidores. A luta faz a lei! Servidor unido jamais será vencido!”.

Fontes: Todo Dia/Rede Social STSPMP