Vereadores votam a favor de Comissão Processante que investigará Dixon Caravalho

Os parlamentares aceitaram denúncia formulada por Luiz Roberto de Lima, onde aponta supostos atos de improbidade administrativa

A Câmara de Paulínia aprovou na noite de terça-feira (22) a abertura de Comissão Processante para investigar denúncia que pede a cassação do prefeito Dixon Carvalho (PP). Foram 14 votos favoráveis pela formação da Comissão Processante (CP) - o presidente não vota.

Os parlamentares aceitaram denúncia formulada por Luiz Roberto de Lima, onde aponta supostos atos de improbidade administrativa por parte de Dixon, entre eles o descumprimento de lei orçamentária.

O prefeito e 13 vereadores são alvos de uma CP por suposta troca de favores que resultou em 68 nomeações para cargos de confiança.

A nova Comissão Processante será formada pelos vereadores Tiguila Paes (PPS), Kiko Meschiati (PRB) e Xandinho Ferrari (PSD), e tem prazo de 90 dias para apresentar relatório. Dixon segue no cargo durante os trabalhos da CP.

Nota de Dixon Caravalho

Por meio de nota enviada ao veículo G1, o prefeito Dixon Carvalho comentou o caso. Segundo o informe, Dixon passou o dia em reuniões em Brasília com deputados e com o ministro das Cidades, Alexandre Baldy, com quem reivindicou verbas.

Sobre a CP, o chefe do Executivo declarou ter recebido a notícia com tranquilidade e vai se informar sobre a denúncia para tomar devidas providências e "provar a lisura de sua administração desde que assumiu a prefeitura".

Dixon também afirmou que confia nas ações do secretariado e a certeza que os parlamentares vão comprovar a legalidade de seus atos ao longo da CP.