Pastor evangélico suspeito de estupro à três adolescentes se entrega e tem prisão decretada

Foi registrado um boletim de ocorrência como estupro de vulnerável e assédio sexual

(Rede Social): Pastor Edivaldo, de Paulínia, preso suspeito de estupro e assédio de adolescentes.

O pastor evangélico suspeito de estupro e assédio sexual a três adolescentes foi preso pela Polícia Civil de Paulínia. O homem de 47 anos tinha prisão temporária decretada, estava foragido e se entregou na quarta-feira (2). De acordo com a investigação, o suspeito assediava meninas de 13, 15 e 17 anos pelo aplicativo WhatsApp.

As informações foram passadas pela Polícia Civil na tarde de quinta-feira (3). O pastor Edivaldo Paulo da Silva conheceu as garotas na igreja e começou a assediá-las pelas mensagens de celular. As adolescentes denunciaram o suspeito e entregaram os celulares para a investigação.

Nas mensagens que o delegado teve acesso, o homem sugere que as garotas se toquem enquanto falam com ele e faz insinuações sobre o pênis, dizendo que era "tamanho GG".

De acordo com a investigação, além das mensagens, o pastor também chegou a tocar nas partes íntimas de uma das vítimas. Foi registrado um boletim de ocorrência como estupro de vulnerável e assédio sexual.

O homem está preso no 2º Distrito Policial de Campinas. A prisão temporária foi pedida no dia 3 de abril, logo após a denúncia das adolescentes.

O que diz a defesa

A advogada do suspeito, Larissa Caroline Verissímo, afirmou que vai conseguir comprovar a inocência do pastor com depoimentos e provas que serão anexadas ao inquérito. Segundo ela, as acusações têm a intenção de denegrir a imagem do investigado.

"As testemunhas que a defesa levou para serem ouvidas no inquérito esclareceram que as acusações não possuem fundamento, uma vez que o pastor nunca teve aproximação íntima com as menores. A defesa acredita que as acusações são fruto de uma tentativa, por parte de ex-membros da igreja, a de atacar a honra do pastor", disse a advogada.

Fonte G1