Menina de 11 anos escreve bilhete pedindo socorro por ser abusada pelo pai

O bilhete foi parar nas mãos da motorista da van escolar usada pela estudante, que o entregou à Polícia Civil

Um bilhete escrito por uma menina de 11 anos, entregue a uma colega de escola, levou à prisão de um homem suspeito de estuprar as três filhas menores, em Paulínia.

"Eu sofro abuso do meu pai", escreveu a criança a lápis, num pedaço de papel, juntando à frase o desenho um desenho indicando tristeza. O bilhete foi parar nas mãos da motorista da van escolar usada pela estudante, que o entregou à Polícia Civil. O vigilante José Maria Rodrigues Pinheiro, de 56 anos, pai da menina, foi preso na última sexta-feira (7).

Os detalhes do caso só foram revelados na segunda-feira (7) pelo delegado Rodrigo Galazzo, depois que os exames confirmaram que a menina teve o hímen rompido. As outras duas filhas, de 10 e 12 anos, também denunciaram os abusos que vinham sendo praticados pelo pai há pelo menos um ano.

A mãe das meninas não sabia que elas eram vítimas do marido, mas desconfiava de preservativos encontrados em casa. Delegado responsável pelo caso, Rodrigo Galazzo relatou na terça-feira (8) que ela ficou "em estado de choque" ao saber dos abusos. No depoimento, a mãe disse que não percebeu nenhuma mudança no comportamento das filhas, nem mesmo na presença do pai. A família é de pessoas muito simples e quase sem diálogo, segundo Galazzo.

Ainda segundo Galazzo, além do exame médico, os depoimentos das meninas, acompanhados pelo Conselho Tutelar, confirmam de forma categórica os abusos. A pena do pai deverá passar de 30 anos de prisão. Segundo ele, como a mãe das crianças desconhecia a situação, continuará na guarda das menores, que serão acompanhadas pelo Conselho Tutelar. As meninas já estão tendo atendimento psicológico. Pinheiro teve a prisão temporária decretada por 30 dias, mas o delegado vai pedir a conversão em prisão preventiva. Ele foi levado para uma cadeia pública na região de Campinas. Fonte: Jornal do Brasil

(Polícia Civil/Divulgação): Menina de 11 anos escreveu um bilhete para relatar abusos que sofria do pai em Paulínia.

© 2020 Jornal de Paulínia