Mulher ateia fogo no próprio apartamento e prédio é interditado em Limeira

Suspeita de provocar o fogo tem problemas psiquiátricos e teria dito que queria matar alguém

Na manhã da última quarta-feira (2), uma mulher ateou fogo no próprio apartamento na cidade de Limeira, segundo o Corpo de Bombeiros. A Defesa Civil informou que interditou o prédio, que tem cinco andares e dez apartamentos - nove deles ocupados. Ninguém ficou ferido e a suspeita vai responder pelo crime de causar incêndio em liberdade.

O caso ocorreu no Jardim Olga Verone. O fogo começou em um sofá e se alastrou pelo local. "Foi tudo interditado para não dar o efeito que deu em São Paulo [...] Para não dar o efeito dominó. Ia acontecer idêntico [na Capital], a mesma coisa", afirmou Francisco Aparecido Rodrigues, agente da Defesa Civil.

Ele também informou que a suspeita de provocar o fogo tem problemas psiquiátricos e teria dito que queria matar alguém e, que a Polícia Militar (PM) teve de intervir para que moradores do empreendimento não linchassem a suspeita, que foi conduzida pela polícia ao serviço de assistência social.

Ainda de acordo com Rodrigues, os residentes no imóvel receberam assistência da prefeitura e não há prazo previsto para que retornem a ele.

O apartamento atingido fica no primeiro andar de um dos blocos de um condomínio. A fumaça chegou até o último andar do prédio. A Defesa Civil fez uma vistoria no local para saber se o incêndio danificou as estruturas.

(Reprodução/EPTV): O apartamento atingido fica no primeiro andar de um dos blocos de um condomínio.