Militares de Campinas participarão de missão na intervenção federal no Rio de Janeiro

A data de saída e a logística da missão não foram informadas pelo comando da Brigada, por motivos de segurança

O Comando Militar do Sudeste (CMSE) confirmou o envio de aproximadamente 450 militares da 11ª Brigada de Infantaria Leve de Campinas para uma missão na intervenção federal no Rio de Janeiro. Além de Campinas, o grupo será formado pelas unidades de Lins, Pirassununga, São Vicente, Pindamonhangaba e Itu, e irá atuar na capital fluminense.

Segundo o Gabinete de Intervenção Federal, a segurança será reforçada em alguns locais da cidade, inclusive na Vila Kennedy, comunidade escolhida para ser o modelo de ação na segurança pública do RJ.

A data de saída e a logística da missão não foram informadas pelo comando da Brigada, por motivos de segurança. Mas, a ida dos militares é esperada para os próximos dias.

De acordo com o CMSE, as tropas substituirão os militares da 12ª Brigada de Infantaria Leve (Aeromóvel), com sede em Caçapava, que está em operação desde 9 de abril. O período de estadia dos militares da 11ª Brigada não foi divulgado.

"Será de acordo com o planejamento do Comando Conjunto da Operação no Rio de Janeiro", disse o CMSE, por nota.

Rodízio de tropas

De acordo com o Comando Militar do Leste, responsável pela ação no Rio de Janeiro, o rodízio de tropas acontece, aproximadamente, a cada 15 dias. Desta forma, permite o reajustamento nos grupos militares que já estão no Rio, oriundas de outros comandos de área.

Atualmente, as tropas que estão em atuação nas operações de Garantia da Lei e da Ordem (GLO) - cujo preparo é feito em Campinas - da intervenção federal são do Rio de Janeiro.

Elas atuam desde junho de 2017, quando as ações começaram após assinatura do decreto de GLO, ainda em vigor. A intervenção, no entanto, teve início em 16 de fevereiro deste ano.

Fonte G1

(Vanderley Duarte/EPTV): Militares fazem treinamento de Garantia da Lei e da Ordem (GLO) em Campinas.