Paulínia registra 113 casos de violência contra a mulher somente neste ano

Em 2017 foram registrados 433 casos, até o fim de 2018 o número deve passar de 500

Segundo dados divulgados pela Guarda Municipal de Paulínia, de janeiro a março deste ano já foram registrados 113 casos de violência contra a mulher. Comparado à dados de 2016, o número é bem expressivo, na época, durante todo o ano, houve o registro de 380 casos.

De acordo com o setor de estatística da GM, não é possível estabelecer com precisão qual será o número de registro em 2018, mas o número deve passar de 500. Em 2015, a cidade registrou 391 casos e em 2017, 433.

Os números podem ser ainda maiores, pois muitas mulheres acabam não registrando as agressões, na maioria das vezes, por medo de retaliação.

Apesar de a violência existir em todas as camadas sociais e econômicas, os registros apontam que as mulheres de baixa renda são as que mais sofrem esse tipo de abuso.

Em Paulínia, o bairro São José é o campeão em número de ocorrência desse tipo, seguido pelos bairros Bom Retiro e Morro Alto.

Ocorrências

Na última semana, duas ocorrências em flagrantes de violência conta a mulher foram registradas. As duas aconteceram no bairro Bom Retiro.

Na terça-feira (20), um homem foi preso após espancar a companheira com um pedaço de pau. Segundo informações de Guarda Municipal, o agressor é um pedreiro de 22 anos.

As agressões foram feitas em uma Avenida do bairro e só cessaram com a chegada da Guarda Municipal. O agressor irá responder por violência doméstica, lesão corporal e ameaça e resistência.

No outro caso, ocorrido na quinta-feira (22), o agressor agrediu a própria mãe e também foi autuado em flagrante pela GM.

Fontes: Dados Guarda Municipal de Paulínia/Tribuna

(Ilustrativa): Os números podem ser ainda maiores, pois muitas mulheres acabam não registrando as agressões.