Edson Moura e Moura Junior são condenados à quatro anos de prisão por compra de votos

Mouras foram condenados a quatro anos de prisão em regime semiaberto e ao pagamento de multa que pode chegar a R$ 71.550

Os ex-prefeitos de Paulínia, Edson Moura e Edson Moura Junior, foram condenados pela Justiça Eleitoral de Paulínia a quatro anos de prisão e pagamento de multa em processo sobre a compra de votos durante a eleição de 2012. O vídeo divulgado à época mostra Edson Moura, então candidato à prefeitura e seu filho, Moura Junior, entregando dinheiro a populares após uma reunião. Os réus podem recorrer da condenação em liberdade.

O inquérito foi aberto para investigar a compra de votos na eleição de 2012 por parte de Edson Moura Júnior, do pai dele, o ex-prefeito Edson Moura, e do vice, Francisco Bonavita Barros. Na época, uma testemunha relatou à Justiça ter vendido por R$ 150 o voto dela para a chapa do prefeito. A promotoria acusou ainda os políticos de promoverem arrastões para a compra de votos em vários bairros na campanha eleitoral.

Ao fundamentar sua decisão, o juiz Carlos Eduardo Mendes, juiz da 323ª Zona Eleitoral de Paulínia, destaca que a "materialidade delitiva e a autoria do crime estão devidamente comprovadas" pelos laudos periciais, que apontam que o vídeo apresentado é legítimo, onde o réu Edson Moura entrega dinheiro para nove pessoas e Edson Moura Junior manuseia o dinheiro, e que os "fatos registrados estão associados à eleição municipal ocorrida em 7 de outubro de 2012."

O magistrado ressalta ainda que testemunhas confirmaram a autoria do crime, entre elas a mulher que aparece no vídeo conversando com Edson Moura. Ela recebeu R$ 500.

"O conjunto probatório contém elementos seguros a evidenciar que o réu [Edson Moura] objetivou a obtenção do voto dos eleitores em favor de candidatura ao dar dinheiro a eles, conduta tipificada no artigo 299 do Código Eleitoral", e que "o réu [Edson Moura Junior] concorreu para que Edson Moura desse dinheiro para obter voto", pontuou o juiz.

Pai e filho foram condenados a quatro anos de prisão em regime semiaberto e ao pagamento de 15 dias-multa, que pode chegar a R$ 71.550. "Os réus poderão continuar respondendo a este processo em liberdade, pois assim têm permanecido", informa o juiz na decisão.

Edson Moura Junior teve seu mandato cassado por cinco vezes desde a eleição de 2012 e, havia conseguido uma liminar que o recolocou no cargo do Executivo. Posteriormente, foi afastado e José Pavan Junior completou o mandato.

Em 2017, a 2ª Vara Criminal de Paulínia aceitou denúncia feita pelo Ministério Público contra o ex-prefeito e o vereador Marcos Roberto Bolonhezi, o “Marquinho Fiorella” (PSB), por suposto desvio de dinheiro público em um esquema de indenização do próprio parlamentar por desapropriação simulada.

© 2020 Jornal de Paulínia